Rêlou, pessoal!
Hoje é dia de Bienal e eu sei que você sabe que 'eu tô ligado', E mais uma vez estou aqui sentindo febre e dores de cabeça porque não vou poder estar lá. Fazer o que, não é? Vou recuperar minha compostura.


Felizmente muitos autores estão surgindo nesse país e a Bienal é um ótimo lugar para encontrá-los e conhecer mais sobre suas histórias. Por isso, reuni as datas que alguns autores contemporâneos (uns já publicaram livros e outros estão estreando na literatura e na bienal), que estarão na grande feira de livro, para que você que vai ter o prazer de participar desse grande evento possa visitar e conhecer seus trabalhos.


Louise Branquinho é estudante de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, autora do livro "Para Onde Vão os Corações Partidos". Ano passado Louise participou da Bienal do Rio de Janeiro e esse ano vai estar em São Paulo, lançando seu novo livro, "A Primeira Pétala", no estande da Editora Tribo das Letras, Rua K, estande 069, no dia 27 de agosto - das 17 às 19 horas. 


SINOPSE DO LIVRO:
Richard é o tipico homem rico, bonito e simpático, que atraia a atenção de todas as mulheres à sua volta. Até que uma tragédia acontece e muda completamente sua vida.
Isabelle ainda era uma menina quando perdeu seu pai. E após um acidente, se vê tendo que cuidar sozinha da irmã, mas sem conseguir, se muda para a casa de um amigo antigo de seu pai, um homem desconhecido e misterioso. O que será que o destino reserva aos dois? Será que a bela conquistará o coração desacreditado da fera? O mundo real não é como um conto de fadas, mas o tempo está passando e a primeira pétala já caiu...


O autor Vinícius Grossos, autor de Sereia negra, também vai estar na Bienal de São Paulo. O Vini que esteve na Bienal do Rio ano passando lançando seu segundo livro, "O garoto quase atropelado", esse ano vai lançar seu mais novo trabalho, intitulado 1+1 A Matemática do Amor, escrito em parceria com Augusto Alvarenga. O Grossos vais estar TODOS OS DIAS NO ESTANDE GIRASSOL/ FARO EDITORIAL, A PARTIR DAS 14 H. 
SINOPSE DO LIVRO: Lucas e Bernardo são dois garotos, melhores amigos um do outro de toda a vida. De repente, recebeu a notícia de que Bernardo irá se mudar com a família para outro país. Nesse momento, cada um a seu modo, percebe como valiosa era aquela amizade, algo que não queriam perder. Bernardo reage mal e se revolta. Lucas tenta transformar cada dia que resta com o amigo na melhor experiência de suas vidas. Ele escreve uma lista de coisas para fazer e pretende cumprir uma por uma em todos os detalhes. Mas, a cada dia, o fantasma da separação os assombra com um termômetro lembrando que o tempo se esgota e, ainda assim, os dois passam por grandes momentos juntos. Então os meninos percebem que há algo mais entre eles... um sentimento profundo que não conseguem explicar e tornam todas aquelas experiências ainda mais intensas. Mas o que fazer com tudo isso quando se tem apenas 16 anos?


No segundo dia da Bienal quem vai estar lançando seu novo livro, o segundo de uma trilogia, é o autor parceiro do Blog, o querido João Gabriel Brene. Ele é autor de Johnny Bleas - Um Novo Mundo e no dia 27 vai fazer uma sessão de autógrafos para o lançamento de Johnny Bleas, o núcleo da montanha. Estou com  o coração na mão desejando estar lá, gente. Vocês não tem ideia. CLIQUE para conhecer a página do evento e saber um pouco mais sobre o livro. Logo abaixo um banner com todas as informações de horário e local para encontrar o JG Brene. 





E quem estreia no mundo literário e participa da 24ª Bienal de São Paulo é a Ana Carolina Dias, lançando seu primeiro trabalho, o romance intitulado de "Os Dez Amores de Cece". Ana é carioca, escreve fanfics desde os 12 anos e essa será sua primeira publicação oficial. Não perca a tarde de autógrafos com a Carolina no dia 03 de Setembro, das 14h às 16 h, no Estante da Editora Tribo das Letras, localizado na Rua K, número 69.
SINOPSE DO LIVRO: Dez nunca foi um bom número, pelo menos não para Cecelia. Contudo, ela não esperava que ele coubesse tão bem em sua história. Dez foram os amores de sua vida, ou como Cecelia os apelidou, os desamores de sua vida. Ela se permitiu viver cada um dos sentimentos que estes lhe despertaram, explorando-os tanto quanto pôde. Se deu chances e alimentou a esperança de que, um dia encontraria seu número certo. Cece se permitiu amar de muitas formas diferentes, algumas boas, outras nem tanto. Crescendo e amadurecendo pouco a pouco, ela vai descobrir que, melhor que sentir o amor, é conhecê-lo nos sem mínimos detalhes. Quantas vezes é possível ter o coração partido e, ainda assim, não perder a fé no amor?

A autora de Mocassins e All Stars, Clara Savelli, também marca presença na Bienal e já mostrou nas suas redes sociais kits especiais para quem for lá autografar seus livros, no estande da Ler Editorial, a partir das 20h. Savelli estará na Bienal nos dias 26/27/28 e 29 de agosto, e 02/03/ e 04 de setembro. 
SINOPSE: Julie está em um momento complicado da vida. Depois da morte do seu pai, ela e sua mãe se mudam para o outro lado do país - lar de sua avó materna que ela nunca conheceu. Julie se vê obrigada a deixar seus melhores amigos para trás, a enfrentar colegas nem um pouco receptivos no novo colégio e a conviver com Arthur, esse garoto implicante que parece amar tirar sarro de seus sapatos, que a coloca em furadas desde o seu primeiro dia de aula. Entre mistérios, brigas e romances, Julie descobre algo sobre sua avó que muda o rumo de tudo. Ela só queria terminar o ensino médio, comprar uma moto e decidir o que fazer na faculdade, mas a vida não poderia facilitar tudo para ela, poderia? 

Feliz Bienal para vocês, curtam bastante esse momento especial para um leitor e para o leitores/autores, que estarão mostrando seus trabalhos e nos presenteando com mais histórias.

XOXO
Diih 


Olá! 
Um carinho e meus desejos de alegria e boa leitura nesse dia e nos próximos a todos vocês. Quero aproveitar e dizer que estou super feliz porque minha parceria com a Companhia das Letras foi renovada. É uma editora  tão querida por mim, tão importante para mim! Vocês não tem ideia. Dito isto, vou contar para vocês minha experiência com "Uma Canção de Ninar", segundo livro da Sarah Dessen publicado pelo selo SEGUINTE aqui no Brasil.

Minha paixão pela Sarah aconteceu após a leitura de OS BONS SEGREDOS, quando comecei a ler o livro e não consegui largar fácil. Foi uma leitura que me fez muito bem e quando soube que mais um livro da autora seria publicado aqui no Brasil, também pela Seguinte, fiquei imensamente feliz. E estou encantado com o que li, apaixonado pela história. Me identifiquei tanto, que é como se a autora estivesse conversando comigo, como se eu estivesse no lugar da Remy, protagonista da trama.

Eu já não tinha mais nenhuma ilusão a respeito do amor. Ele vinha, ele ia, deixava vítimas ou não. As pessoas não eram feitas para ficar juntas para sempre, independente do que dizem as músicas. (pág. 64)

Uma canção de ninar narra a história de Remy, uma garota totalmente (ou será que não?) desacreditada do amor. Seu pai, um cantor famoso, deixou sua mãe quando ela ficou grávida e saiu pelo mundo, com sua carreira e a única coisa que deixou de lembrança para a garota foi uma música, que até hoje faz sucesso nas rádios. Depois disso, a menina assistiu bem de perto aos fracassos dos seguintes casamentos da mãe, e olha que não foram poucos. Cadê aquele amor que está nas letras nas canções e histórias com finais felizes? Remy desconhece e não se permite deixar-se envolver com alguém a ponto de se entregar profundamente àquilo que enxerga como uma perfeita ilusão, até conhecer Dexter. O rapaz é músico, totalmente desengonçado, diferente de todos os rapazes com quem ela namorou e sempre se sentiu atraída. Dexter é tudo o que Remy se impôs a negar. E essa novidade na sua vida é o que mostrará a ela que "tudo, no fim das contas, tem a ver com o momento certo."

Quem nunca se decepcionou com relacionamentos e nunca viu algum amigo ou familiar passar pela mesma situação que atire a primeira pedra. E para algumas pessoas isso se torna um trauma, que ajuda na visão negativa que o indivíduo tem sobre o relacionamento amoroso. Talvez o pensamento realmente mude, ou talvez acreditar na ideia induzida pelo medo de que bons relacionamentos não existem seja o caminho mais fácil, uma maneira de se proteger. E é justamente sobre isso que Dessen vai abordar nessa história, através da personagem Remy. 

A narrativa continua excepcional! Você começa a ler e é difícil largar porque é muito envolvente, nada de palavras difíceis ou situações complicadas demais. A trama não se passa no tempo atual - você vai ler sobre discman, por exemplo -, apesar de abordar esse assunto da decepção que é atemporal. A todo o momento o ser humano decepciona ou é decepcionado. Uma prova disso são as decepções pelas quais Remy passou. Mas e quando ela decepcionou pessoas que estavam ao seu redor, de maneira egoísta e muitas vezes estúpida, perdendo a oportunidade de talvez encontrar o que nunca teve? Será que o outro também não sentiu a mesma dor? Dexter, por exemplo, passou pelas mesmos problemas na família e se mantém fiel ao desejo de amar e ser amado. A própria mãe que sofreu com os finais dos relacionamentos em algum momento deixa claro que não é porque eles acabaram que ela não tenha vivido momentos felizes.

Só porque alguns casamentos não duram não quer dizer que foi tudo em vão. Tive muitos anos bons com seu pai, Remy, e a melhor parte é que deles saíram Chris e você. Os quatro anos que passei com Harold foram maravilhosos, até o finalzinho. E mesmo com Martin e Win, fui feliz na maior parte do tempo. (Pág.: 272)

Remy, inicialmente, parece uma garota madura, resolve basicamente tudo dentro de casa onde mora com o irmão e agora Don, novo marido de sua mãe. É muito bem resolvida, sabe o que quer e já tem tudo planejado para o futuro. É uma garota um tanto egoísta também, mas de bom coração e compartilha seus segredos com suas amigas Lissa, Jess, Chloe - essa última uma espécie de irmã gêmea e demolidoras de corações também. É admirável a cumplicidade que elas têm umas com as outras. Remy pode ser tudo, mas será que é uma garota forte emocionalmente?

Mais uma vez Dessen escreveu uma história familiar, com personagens comuns, facilmente reconhecidos por nós. Remy pode ser eu, pode ser você ou uma amiga sua. Assim acontece com o atrapalhado - e maravilhoso - Dexter, um garoto que largou tudo para viver de música. Você pode reconhecer alguma mãe de amiga ou a própria mãe na personagem da Barbara Starr, escritora e mãe da protagonista. Não esquecendo de Chris, o irmão, um garoto doce e apaixonante, que é perdidamente apaixonado pela namorada, Jennifer Anne. 

Algumas cenas me pareceram um tanto forçadas demais, com acontecimentos e situações que fogem da naturalidade. Parece que foram feitas de maneira exagerada para te mostrar algo, te fazer acreditar em algo de maneira nada sutil. Isso é no livro inteiro? Não, não é! O que não implica em nada na qualidade da história que na maior parte do tempo ganhou minhas atenção e no final de tudo minha satisfação.

Uma canção de ninar é um livro com uma história sobre amores perdidos, decepções e coragem. Você pode encarar seu futuro na certeza de que as pessoas vão te decepcionar, mas a vida continua. Não vale a pena lutar contra a maré, na hora certa as coisas acontecem e ao contrário do que se possa imaginar, de maneira ilusória, você não terá o controle disso. E o que você perde é simplesmente arriscar? À medida em que lia a história me lembrei de um poema de Shakespeare, O Menestrel,  quando ele diz que "não importa o quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso."

Há muita coisa que eu gostaria de escrever sobre esse livro, mas eu me identifiquei tanto com a personagem e seus medos, que foi uma leitura que mexeu com minhas emoções e se eu simplesmente contar aqui vou soltar spoilers ilimitados. Portanto, eu indico a leitura desse livro não só pela simplicidade dessa narrativa cativante, mas pela complexidade que de alguma forma envolve os personagens, que pode facilmente te fazer se identificar com eles e abrir seus olhos acerca do assunto. 


E para você de Salvador, deixo o convite especial para o primeiro clube do livro do Blog Vida & Letras, que será sobre o livro "Uma Canção de Ninar", no dia 10 de setembro, às 14 horas, na livraria Saraiva do Shopping da Bahia.
Espero vocês por lá! 



XOXO
Diih 


Oi, pessoal!
Que seja bela, que seja doce, que seja gostosa essa semana todinha.

Esse mês eu li vários livros muito lindos e tocantes, que me despertaram emoções que eu adoro. Um deles foi "Três coisas sobre você", lançamento da arqueiro, da autora Julie Buxbaum. A arqueiro apostou num desafio com os leitores, dizendo que caso nós lêssemos o livro e por acaso achássemos ele ruim, a editora devolveria o dinheiro. Mas olha, eu não quis meu dinheiro de volta não! Não, não, não! E agora vou mostrar para você, que ainda não leu, o que as pessoas estão dizendo sobre a vida da Jess e seus emails trocados com o senhor "Alguém ninguém".

Na história você encontra:
- Drama familiar
- Humor
- Bullying
- Diferença entre classe social
- Romance
- Descoberta

Quando terminei de ler esse livro bombardeei minhas redes sociais, completamente louco, apaixonado, emocionado. Eu precisava conversar sobre ele com alguém porque precisava dividir esse sentimento bom que a história trouxe para o meu coração. - Diego França, Blog Vida & Letras |RESENHA|

Este é um livro com uma leitura rápida, uma narrativa fluida e um romance fofo. A autora conseguiu nos apresentar uma personagem que tinha todos os motivos para estar no fundo do poço, mas que consegue tirar força de algum lugar.E é muito bacana acompanhar a força, a determinação e superação ao longos das páginas (...) Esse é um dos livros mais cativantes que li esse ano e merece ser indicado.- Bárbara, Blog Versos e Notas |RESENHA|

É um livro super divertido, apesar de toda aquela tensão, e no final você fica torcendo para que a Jessie fique bem, para que a pessoa que está conversando com ela seja uma pessoa legal, que realmente não seja uma pegadinha. Eu fiquei muito feliz com o final do livro, eu fiquei super apaixonada por essa história. Eu favoritei...- Tamirez Santos, Canal Resenhando Sonhos |RESENHA|

Três coisas sobre você acabou se tornando uma leitura muito especial, porque é uma história que dá a sensação de que pode acontecer, ser real. Os sentimentos, medos, são bem palpáveis. É impossível não entender a Jessie e torcer para que ela consiga passar por essa má fase. (...) Gostei muito do desfecho, mas confesso que fiquei com gostinho de quero mais. Achei que o final foi um pouquinho corrido, queria mais de Jess e AN. Mas no mais acho que Três coisas sobre você estará no gosto de muitos adolescentes e adultos também. - Taty Assis, Blog A Culpa é dos Leitores |RESENHA|

Me amarro nessas histórias românticas com trocas de mensagens, ainda mais entre adolescentes em seu período de transformação. Com essa história não foi diferente, fiquei super envolvida... Daria mais uma estrela fácil, mas achei o final pouco desenvolvido e muito corrido, além simplório. Mesmo o AN sendo quem eu queria, acho que  a autora ficou com preguiça de costurar melhor a história deles. Mas no geral o livro me agradou.- Opinião da Leitora Rebeca Swire no Skoob.

Confesso que já sabia quem era o personagem do anonimato, mas isso não fez com que eu perdesse a vontade de não continuar a leitura e ver o momento em que os dois ficam juntos. Ele é simples, leve e algo fácil de se imaginar na vida real. Eu super levaria esse contexto do livro para a minha vida.- Opinião da leitora Kimberly Coatio no Skoob

A maioria dos comentários sobre o livro são positivos. Eu sou um dos que amaram esse livro até o fim, por isso decidi, em parceria com a Editora Arqueiro, sortear um exemplar do livro. Basta clicar no link da resenha que está no início da postagem e participar. É bem simples! 

XOXO
Diih .

Olá, pessoal!
Como hoje está sendo um dia corrido para mim e meu tempo está escasso, decidi trazer mais uma publicação da coluna 'Enquanto você Esteve ausente" e mostrar para você um apanhado de postagens que passaram por aqui nas últimas semanas. Se você perdeu algo, se há alguma postagem que lhe interessa é só clicar e conferir.


... Publiquei resenha com promoções, resenha de uma HQ especial, postei lançamento um lançamento especial da Editora Seguinte e até TAG Musical.


15 de Agosto de 2016
Publiquei uma nova coluna no blog, intitulada "Desabafos Inconstantes". Falei sobre a maneira de opinar ou fazer uma crítica, como há algumas pessoas que se tornam grosseiras demais e acabam tendo um resultado negativo na troca de opiniões. Não é o que você diz, é como você diz.

13 de Agosto de 2016
Pela primeira vez aqui no Blog publiquei uma TAG relacionada a música, que é uma coisa que eu adoro! Amo, amo, amo sem fim. Tem músicas que marcaram minha infância, que me emocionam, me me faz lembrar alguém, e tem muito Sandy e Junior nesse meio. Shania Twain também e Britney Spears estão nessa playlist. Uma TAG muito legal que vi no Blog Who's That Girls, da Renata Varela. 

10 de Agosto de 2016
Pela primeira vez também fiz uma resenha de uma HQ aqui no Blog, um livro recebido em parceria com a Companhia das Letras. Foi uma experiência ótima e comecei muito bem fazendo a leitura de Persépolis, uma história maravilhosa, tocante e engraçada sobre a vida de Marjane Satrapi num país tão machista e autoritário, onde as mulheres não têm voz, vontade e escolhas. Satrapi é um verdadeiro exemplo de luta, de mulher forte e de personalidade. Vale a pena conferir. 

08 de Agosto e 2016Vocês sabem o que as pessoas estão falando sobre o Livro "A Rebelde do Deserto"? Reuni alguns depoimentos de blogueiros, e youtubers e leitores  diversos no Skooob para mostrar o que as pessoas acharam da história, que também traz uma mulher/ garota empoderada e forte. Uma mistura de realidade e ficção nesse universo que tanto lembra as Mim e uma noites. Esse é o primeiro livro da série, publicado pela Editora Seguinte. 


01 de Agosto de 2016Eu publiquei a resenha de Três coisas sobre você e foi um prazer ter lido esse livro. Engraçado e tocante, apaixonante também. Por isso, por ter gostado tanto, decidi fazer uma promoção para presentear um de vocês com um exemplar do livro, que foi publicado pela Editora Arqueiro. A promoção vai até o dia 31 de agosto e é muito fácil participar. Clique na Imagem e leia a resenha onde estará o link para participar da promoção.


Beijos, pessoal!
Bom Final de semana, 

Olá, gente! 
Hoje é quarta-feira, dia de resenha de uma leitura linda e especial. Por dois motivos: é um dos próximos lançamentos da Editora Seguinte e é um livro que despertou em mim um misto de emoções, logo preciso dividir isso com vocês. 

"Não sei outra forma de expressar. E não gosto de não saber. Nada. Não gosto de não saber em geral. Eu devia sempre ser capaz de saber." (pág.:18)

A frase acima é um retrato da personalidade da nossa personagem, a especial e querida Sammie. A garota, que está prestes a se formar sempre planejou a vida e uma de suas metas é assim que terminar a escola viajar para a cidade grande e entrar numa faculdade. Mas para ela não basta sair da escola, ela precisa se formar como a melhor aluna; não adianta mudar-se para a cidade grande, ela precisa sair de lá e entrar como uma ótima aluna também, na faculdade mais renomada do local onde agora será uma novata. Não há nada que fique no caminho da Sammie, nem mesmo a condição genética que tem, que aos poucos será capaz de apagar sua memória e até comprometer sua saúde física. Então, quando se vê obrigada a pensar num plano para driblar a falta de lembranças sobre quem é, onde está, o que deve fazer, ela tem a brilhante ideia de escrever um livro com todas as suas memórias, assim sempre que precisar manter-se atualizada sobre ela mesma - a Sammie do futuro -pode consultá-lo. 

No livro de memórias da Sammie você vai saber detalhes sobre o primeiro encontro da garota com Stuart, um jovem escritor que despertou há muito tempo um sentimento nela. Como ela se sentiu, o que ela fez, as mancadas que deu, o que deixou de fazer também. Além disso, ela vai admitir a saudade que sente de Cooper, um amigo de infância que acabou se afastando, vamos descobrir o por quê e como eles voltaram a se aproximar. A vida em casa com a família e os irmãos, com a melhor amiga Maddy, com quem participa de debates na escola (como uma dupla invencível) também estão entre as memórias da menina, que apesar de parecer uma solução simples para o problema vai se mostrar mais difícil do que se espera.

Às vezes a vida é só terrível. Às vezes a vida te dá uma doença estranha. Às vezes a vida é muito boa, mas nunca de um jeito simples.E quando eu olhar para trás vou saber que tentei. (Pág.: 75)

Quando eu soube que esse livro seria lançado no Brasil (foi através do canal É O SEGUINTE!) fiquei muito feliz com a proposta do livro e ao mesmo tempo medroso porque há muitos livros com personagens portadoras de doenças graves e isso acaba caindo na mesmice, tornando-se um tanto previsível. Não diria que "O livro de memórias" é diferente de tudo o que já li, mas posso garantir que a personagem Sammie, que tem uma doença degenerativa chamada Niemman Pick, é um personagem com um grande diferencial, sendo uma grande surpresa para o leitor.

Sammie é decidida, focada e forte. Além disso muito inteligente e possui total consciência de que pode ter sim uma carreira de sucesso. A história não conta com dramas exagerados e uma garota chorando pelas cantos sentindo pena de si mesma em momento algum. Ao contrário, o que ela puder fazer para conseguir alcançar seus objetivos ela faz sem pensar duas vezes. Sim, a garota é um tanto impulsiva e sinceramente, de maneira irritante também, é egoísta. Porém, egoísmo é algo que a gente precisa ter um pouco na vida porque se não pensarmos e nos dedicarmos a nós mesmos pelo menos uma vez nunca teremos feito muita coisa do que queremos. No livro Sammie vive com a mãe e o pai (além dos irmãos), que naturalmente super protege a filha e tenta impedi-la de fazer certas coisas por causa da doença. Mas Sammie não deixa de fazer absolutamente nada do que ela quer. Ela tem um espírito de jogador e não permite ser vencida de forma alguma, nem mesmo pela sua condição.

Uma dos pontos positivos do enredo é a narrativa pouco romanceada. Não é um livro que tenta mostrar um fato trágico e triste, mas também não há enfeites e milagres. Sammie é o que é e precisa aprender a conviver bem com o Niemman Pick. Diria que "O livro de memórias" é um exemplo de luta para todas as pessoas, uma mensagem de "viva a vida da melhor maneira possível e lute com tudo o que tem nas mãos para alcançar seus objetivos". Lulu Santos diria "Vamos viver tudo o que há para viver, vamos nos permitir", e isso traduziria muito bem os sentimentos da Sammie.

Uma das características predominantes na história é o humor. A maneira de falar e as atitudes, diálogos e comparações de Sammie são engraçadas e oferece à garota um carisma admirável. Ela é irritante também e como disse anteriormente egoísta. Ela descobre coisas todos os dias e não se importa em desistir por causa do outro, não dá um passo para trás para abrir espaço para o outro. É o que ela quer, o que ela pensa e o que ela sabe. São características justificáveis, mas que também, em algum momento, se torna algo negativo e irritante na história. Você vai precisar aprender a lidar com isso.

O romance existe e por um bom tempo se faz lindo e apaixonante. Mas há reviravoltas, é claro. Stuart (a paixão antiga da menina) é um amor de rapaz e quando descobre a doença de Sammie, ao contrário do que se possa imaginar, ele não a abandona, muito pelo contrário: ele se abandona. E isso você irá entender melhor quando ler o livro. E aqui está um paradoxo: a garota que pensa primeiramente e sempre nela, e o garoto que deixa de pensar nele para garantir o bem estar do outro. Também na narrativa você verá o resultado disso. Não posso esquecer de Cooper, um garoto totalmente fora de padrão, afastado da garota, que quando descobre a doença se aproxima dela e não a abandona de forma alguma. O valor da amizade, a beleza da amizade que está acima de tudo e até o fim.

Quem assistiu "Como se fosse a primeira vez", com Adam Sandler e Drew Berrymore, um filme de 2004 do diretor Peter Segal, certamente irá lembrar do longa durante a leitura. 



"O livro de memórias" é capaz de te fazer rir, se apaixonar, agradecer pela vida, sentir raiva, mas acima de tudo compreender ainda mais do que o amor pode ser capaz. Eu me senti dividido e bombardeado com esses sentimentos durante a leitura, que é como um arranhão proposital para que o leitor crie consciência da vida que tem e do quanto é preciso lutar por ela, para fazer o máximo de coisas possíveis até que  não possa mais. E depois de tudo isso, na última página você será pego de surpresa e bombardeado com uma emoção profunda.

Dia 26 de agosto o livro já vai estar disponível para venda e será lançado na Bienal do Livro de São Paulo. Não percam, comprem o de vocês e se encantem com a história. Quem escreveu foi Lara Avery, que nasceu em Topeka e estudou cinema no Macalester College. Autora de livros infantis e de mais duas obras de literatura jovem adulta - Anything But Ordinary e A Million Miles Away -, atualmente mora em St. Paul, Minnesota.

Niemann-Pick é uma condição genética hereditária e muito rara, na qual as pessoas não conseguem metabolizar muito bem o colesterol e outros lipídios (moléculas gordurosas) dentro de suas células. Quantidades nocivas de colesterol se acumulam no fígado e no baço e quantidades excessivas de outros líquidos se acumulam no cérebro. Os sintomas incluem problemas no movimento dos olhos, dificuldade para engolir, fala arrastada e irregular, falta de controle muscular e declínio intelectual progressivo, que pode levar à demência. - Essas informações foi retirada do site https://www1.actelion.com.br/br/pacientes/niemann-pick-c/index.page A doença tem vários estágios, você pode pesquisar mais sobre isso. 

XOXO
Diih