Um Olá, 💗

🎵 ... Cheio de paixão, com uma melodia apaixonante e uma resenha da minha primeira leitura de inverno. Não poderia ter feito uma escolha melhor: “Talvez um dia” foi um livro que me deixou ainda mais apaixonado do que já sou nessa vida.

Eu sempre fui apaixonado por música, clipes musicais, histórias de amor e drama. E quando todas essas coisas se misturam num trabalho bem feito me ganha por inteiro. Não é que eu tape meus olhos para o que pode existir de negativo numa junção mal feita, mas as probabilidades de esses pontos não tão bons serem deixados de lado algumas vezes acontece sim. E foi justamente o que aconteceu com Talvez Um Dia, da autora Collen Hoover, livro publicado pela Galera Record em maio deste ano.

O dia deveria ser especial para Sydney, mas ela descobriu que seu namorado está tendo um caso com sua amiga Tori, com quem também divide o apartamento. Sem ter para onde ir, com o coração partido e sem saber o que fazer, a garota aceita o pedido de Ridge - um músico que mora em frente ao apartamento onde até então Sydney morava - para passar uma temporada morando com ele e os amigos. Ridge toca violão todos os dias na varanda de casa e foi assim que Sidney o viu pela primeira vez. Ela é apaixonada pela maneira como o rapaz toca suas canções, escreve uma letra para uma música dele e isso acaba aproximando os dois, que descobrem o amor pela música em comum. Mais tarde vão descobrir que há uma ligação ainda maior que os aproxima, além da música. No entanto, a atração que os dois sentem um pelo outro chega num momento em que talvez suas vidas não estejam prontas para viver o romance. Não agora, mas talvez um dia.


“Talvez Um Dia (Maybe Someday)” é o mais novo livro da Colleen Hoover lançado no Brasil, que traz uma proposta diferente dos demais livros da autora: é um romance musicado, em que os personagens dialogam também através das músicas que compõem, por isso é essencial que se leia acompanhando a trila sonora – causa uma sensação ótima.

A história ao mesmo tempo em que é contada com a leveza familiar da narrativa da autora - extremamente agradável, diga-se de passagem - consegue ser profunda e desperta um misto de sensações relacionadas a assuntos delicados – traição, sentimento amoroso, a maneira como o sentimento se desenvolve e o momento em que de fato ele é aceito. Além disso, Talvez Um Dia é um livro que conta com um enredo sensato e personagens que inicialmente podem parecer infantis demais, mas que conseguem nos surpreender aos poucos.

💭 Você consegue dominar a atração?

💭 Você conhece a força que a atração que você sente tem?

💭 E a força dos seus sentimentos?

💭 Você sabe lidar com a traição?

💭 Como as pessoas lidam com o ato de trair?


Essas são algumas das perguntas que serão respondidas à medida que você segue com a leitura e se depara com os pontos de vista de cada um dos protagonistas. Há uma grande surpresa no livro, que envolve um dos personagens e para quem nunca leu algo além da sinopse do livro com certeza será uma descoberta feliz.

Drama e graça; Romance e sensualidade; Bobagem e seriedade. Temos um livro com tudo na medida certa, em equilíbrio. O drama nunca é em excesso, está sempre se misturando a um comentário engraçado ou um personagem menos sério, do mesmo modo que o romantismo também dialoga com um momento mais sensual. Bobagens e momentos de discussões sérias também estão em harmonia na história.


Apesar de a ideia de escrever uma história misturando letra e música, e ter acertado muito nesse feito, as composições não se apresentam como músicas marcantes, com letras ricas e arranjos maravilhosos. Quem produziu a trilha sonora foi o músico Griffin Peterson, que emprestou também sua bela voz para cantar os temas de amor de Sydney e Ridgi.

Se você assistiu ao filme Letra e Música, com Hugh Grant e Drew Barrymore, certamente perceberá uma leve semelhança entre a obra cinematográfica de Marc Lawrence e o enredo escrito pela Hoover. Ambos envolvem música, pessoas com passando por períodos nada produtivos, diálogos através de cações, a união de duas pessoas que se completam não só na vida, como também no talento que possuem.

Talvez um dia (Maybe Someday) é um livro para ler e se apaixonar, com um enredo repleto de sensibilidade e discussões inevitáveis sobre temas importantes – quero deixar que vocês descubram sobre o que estou dizendo -, que nos mostra o lado sensato e o lado egoísta do ser humano. Um texto com personagens verossímeis, romance na medida certa e uma união perfeita entre letra e música.

XOXO, até logo.

Diih 💗

11 comentários:

  1. Já deu vontade de ler rs...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  2. Diego, nem li o seu post totalmente porque estou começando a ler o livro, mas já estou amando! Espero gostar até o final!
    Abração,

    Drica.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Di!
    Achei sua letra super linda!
    Esse é um livro da CoHo que não bate a vontade de ler, infelizmente.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção de aniversário do blog Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    O primeiro livro da Colleen que li foi Ugly Love e me apaixonei pela escrita da autora. Quero muito ler esse novo lançamento dela e o livro Um Caso Perdido que já tenho em minha estante, adorei a proposta desse livro e o fato dele misturar leitura e música (já me conquistou).
    Com toda certeza será uma das minhas próximas leituras, amei sua resenha.

    Grande abraço!
    Luan - Blog Carpe Diem Literário.
    http://carpediemliterariobr.blogspot.com.br/

    PS.Já estou seguindo e irei acompanhar suas próximas resenhas. ;)

    ResponderExcluir
  5. Aiii meu deus, quero taanto ler esse livro....
    Tantos livros e tão pouco tempo hahaha
    Amo a escrita da Colleen e tenho certeza que vou amar esse título!

    Beeijoos

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oiiiii
    adoooooro seu blog
    ótimos posts
    bjsss

    http://diariodalulu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oieee ♥
    Suas resenhas são lindas demais! Combinadas com as fotos então, ficam únicas. Já li outros comentários a respeito do livro por aí, mas os seus tocaram meu coração e me fizeram perceber que estou querendo muito um romance como este! Estou muito curiosa para saber como essa história se desenrola e também para descobrir qual é esse final, haha! Tem união mais perfeita do que letra e música? Eu acho que não! :3
    Parabéns pela postagem!!!

    Um beijo!
    Débora
    http://amorlivronico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Esse livro parece ser aqueles que quando a gente termina, ficamos suspirando. Eu já vi um booktuber falando super bem sobre ele, mas não tenho certeza quem foi. Eu gostei bastante da tua resenha e do teu blog <3

    Bjs
    barbfurtado.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Adorei a senha, fique com uma enorme vontade de ler. Já está na minha lista literária.
    Já estou te seguindo para acompanhar as novidades. Poderia retribuir seguindo o meu blog?
    Beijos
    http://palavrass-ao-vento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito da resenha, apesar de já conhecer o livro, foi a primeira resenha que li sobre, e você conseguiu me deixar ainda mais empolgada pela leitura. Adoro música e com certeza irei me envolver muito na história, a premissa é muito interessante.

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir
  11. Esse livro é magnífico!! Não sei porque ainda duvido da Colleen. Comecei a leitura despretensiosamente, sem esperar grandes coisas, e quando fui ver, estava completamente envolvida e a prantos chorando. O romance deles é tão palpável, delicado, uma situação tão complexa, não tem como odiar ninguém ali! E as canções, a deficiência dele, gente, é lindo demais. Vou até colocar Maybe Someday pra tocar aqui <3 sua resenha ficou ótima, eu mesma evitei escrever sabendo que nunca ia conseguir colocar em palavras tudo que senti com esse livro!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"