Feliz Segunda-feira, pessoal! ☆☆☆
Que feriado maravilhoso esse, não? Espero que tenham aproveitado muito. Eu aproveitei e adiantei muita coisa do trabalho. Paguei contas e também gastei muito (porque não sou de ferro).

E foi num desses dias de folga que aproveitei para assistir ao filme "IT - A Coisa", refilmagem de uma adaptação do livro de sucesso de Stephen King. E não, essa postagem não é uma crítica sobre o filme - até porque não sou nada legal fazendo crítica de filmes - é só uma conversa sobre minha experiência no cinema, sozinho (e sobre isso escreverei outra postagem), para assistir a essa "obra prima do medo"


Na cidade de Derry, no Maine, crianças começam a desaparecer e um grupo de sobreviventes se unem para combater o mal em forma de palhaço, que amedronta a todos eles. A história do palhaço e seus atos violentos é algo que acontece há séculos, e a cada 27 anos ele volta para aterrorizar a cidade. Ele voltou e você já pode "flutuar" também nos cinemas de todo o país.

☆ Gostei muito do que vi, digo só pra começar. Nunca me aprofundei na leitura de IT, sobre o que é a história ou coisa do tipo. Tudo o que sabia sobre "a coisa" é que ele é um palhaço assassino. Logo, quando cheguei ao cinema tudo era muito novo para mim e essa novidade me fez assistir ao filme com um olhar interpretativo sobre o palhaço: Porque um palhaço? Por que matar crianças? Por que se transformar em vários monstros?

Eu cheguei a várias conclusões e percebi que já estava tudo escrito de alguma forma (porque pesquisei muito quando cheguei em casa) , por isso o que vou dizer também não será tão novo para você que já conhece ou simplesmente já procurou saber sobre a história.

Eu amo metáforas e amo as alusões que Stephen King faz nas suas histórias. Se você for ao cinema assistir IT achando que será apenas mais um filme de terror com mortes, demônios e um passado comum a todos os personagens, em que uma pessoa é possuído por uma entidade numa casa onde alguém morreu, você estará fadado a se decepcionar. Particularmente não vejo o que refletir nesses filmes, que só me leva a um olhar religioso superficial. E é essa a diferença de IT. É filme de terror, mas problematiza questões sérias, faz você refletir, te arranha, te belisca. E isso independe do palhaço e do monstro no qual ele se transforma. Você é pego pelo psicológico. 

Uma criança sente medo. O medo, como você deve saber, é algo que todo mundo tem e se não for controlado tende a atrasar a vida de uma pessoa, impedir que ela siga em frente ou saia do mundo comum, realize sonhos. O medo é capaz de destruir alguém. O medo aqui é Pennywise. O medo é algo que a gente não vê, não pega, só sente. E a maneira como King escolheu para falar sobre isso foi dando vida a ele, e essa vida se materializa no palhaço dançarino, que é ridículo e muito malvado. Essa sacada me encantou.

A cada vez que as crianças sentem medo elas estão próximas de serem derrotadas. Então aqui ele me diz: busque, tente ser forte, encare-o! Sinta medo, mas siga mesmo assim ou você será destruído; ele irá engolir você.

O medo é um pai abusivo, por exemplo. A cada vez que o palhaço tenta atacar um dos personagens (mais precisamente a personagem Beverly), ele se transforma naquilo em que a garota tem medo: seu pai. Esse homem que abusa dela todos os dias, com uma mente doentia e psicótica. Somente quando ela encara os fatos e perde o medo é que consegue derrotá-lo. Ela enfrenta-o e mata seus demônios. E não só o abuso é citado na trama. O racismo, o bullying, o preconceito religioso, a violência... tudo isso está envolvido na história, se materializando no palhaço que mora no esgoto. 

Gente, eu me senti tão tenso naquela sala de cinema! Eu queria gritar, queria fazer algo. Me senti aflito demais - e olhe que é raro isso acontecer comigo. Eu amo filme de terror, mas nos últimos tempos tem sido a mesma coisa, tudo muito previsível e cansativo. Já não há mais novidades e esse tipo de sentimento, que finalmente consegui sentir assistindo It. Muita gente não gostou, acho que estão esperando justamente essa coisa comum, igual. Sei lá. 


Volto a dizer: gostei muito do filme (não li o livro ainda). E adorei a mistura de terror com uma dose generosa de sarcasmo, mais humor, mais situações a serem problematizadas. Amei as piadas tão cruas e cheia de acidez. Adorei aquelas crianças tão ousadas (em todos os sentidos) e tão inteligentes (não gosto de filmes que subestimam a inteligencia e ousadia as crianças). Assim como o amor e o ódio andam de mãos dadas, a graça (humor) e o terror também. E vou te contar, é uma mistura que dá muito certo. Mas só se você se propor a sair do comum para fazer um trabalho ousado e bem feito.

Amei forte! Assistam! ♥
E se você já assistiu me conte o que achou. Adoro conhecer opiniões.

XOXO,





5 comentários:

  1. Oi Diih
    Eu não curto filmes de terror e eu odeio palhaço, mas mesmo assim eu estava curiosa para assistir ao filme, mas acho que não vou assistir por conta do medo. Sim, eu tenho medo de filmes assim hehehehe.
    Tenho muita vontade de ler o livro e quem sabe depois eu assista. Que bom que você gostou do filme. Adorei saber sua opinião. Você foi sozinho??? Muita coragem ehhehe.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Di!
    Eu não gosto de filmes de terror e morro de medo de palhaço, mas por essa adaptação eu me arrisco. Não assisti a outra versão e nem li o livro, então estou indo inocente para a sala de cinema.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. E ai Diego! Tudo bem?

    Essas críticas positivas do filme me ganham tanto, estou na maior expectativa e espero que seja legal!

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  4. "Assim como o amor e o ódio andam de mãos dadas, a graça (humor) e o terror também" Acho que essa frase definiu minha opinião sobre o gênero! Vou usa-la para o resto da vida haha
    Amigo eu já estava ansiosa antes, mas agora que falou um pouco sobre a história minha vontade dobrou! Nunca tinha visto muita coisa a respeito dessa história, só que ela era boa, mas nada além disso. Me encantei com as reflexões, com o fato das crianças serem inteligentes, e com a mistura do terror e o humor. Mal posso esperar para ter a experiência de assistir It!

    https://amorasdaliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Dinho!
    Gostei de suas observações e sempre defendo que o terror bom é aquele que, por trás de tudo que vemos, fala de nossos medos. E isso It faz muito bem

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"