Uma criança abandonada encarando a vida e o abandono da mãe como uma completa heroína ao lado de dois senhores de idade, que assistem suas vidas à distância, tentando superar suas perdas. Três personagens, o início da vida e o final. Entres eles algumas certezas, incluindo a morte. São esses os personagens a darem vida ao enredo de Brooke Davis para o livro Achados e Perdidos (Lost & Found), publicado pela Editora Record.

Millie Bird tem apenas 7 anos de idade e já sabe muita coisa, inclusive que vai morrer - assim como todas as pessoas no mundo. Millie, inclusive, tem um livro onde escreve uma lista de todas as coisas mortas e que já não existem mais que conhece, como seu pai, que morreu há pouco tempo e ocupa o 28º da lista. Mas Millie sabe também que, às vezes, as pessoas simplesmente vão embora, assim como sua mãe, que a deixou numa loja e disse volto daqui a pouquinho e ainda não voltou. A garotinha continua esperando e não está triste porque encontrou Karl, o Digitador, que escreve palavras no ar enquanto fala.

Karl também está sozinho porque sua esposa, o grande amor da vida dele, morreu. E ele é um fugitivo - fugiu da casa de repouso onde seu filho o deixou. E mesmo sabendo disso a menina não vai contar a ninguém, nem mesmo Manny, um manequim que eles conheceram na loja e se tornou um amigo companheiro deles dois. Tem também Agatha Pantha, uma mulher que fala sozinha desde quando seu marido morreu. Ela se trancou em casa, dentro de um mundo só dela. Mas sabe de uma coisa? Isso vai mudar depois da chegada de Millie, porque Agatha vai sair de casa e ajudar a menina a encontrar sua mãe. Junto a Manny e Karl, Pantha viverá aventuras que revelarão muito de quem eles são e encontrarão um novo sentido para a vida que estavam deixando de lado quando se trancaram dentro de si por causa do luto.

Achados e Perdidos conta uma bela história repleta de aventuras, descobertas, perdas e ganhos. Quando algo morre deixa de existir? E quando alguém vai embora ela sempre volta? Será que a gente pode aprender com uma criança? E depois que o amor de nossas vidas morre o mundo deixa de fazer sentido? Somos apresentados a questões como essas, no texto de Davis, que criou um enredo metafórico, poético, complexo e que num momento nos apresenta uma realidade crua, no outro uma realidade absurda com personagens cheios de atitudes insanas.

Quando você começa a ler o livro é apresentado a uma criança e toda sua esperteza disfarçada na ingenuidade e doçura, com suas manias e questionamentos narrados em terceira pessoa. Já nesse primeiro momento é o suficiente para você cair de amores por ela. E é como se fosse uma isca para fisgar o leitor e levá-lo até o final, a presenciar situações e experiências que envolve o velho e o novo, o sim e o não, a vida e a morte e o que existe no espaço entre um e outro.
Ela gosta de como as palavras às vezes se chocam umas com as outras e noutras vezes deslizam uma ao lado da outra, com enorme facilidade. Da surpresa que existe nisso. E gosta de que seja um poema secreto, secreto até para ela, porque não vai se lembrar dele. Ele só existirá naquele momento. - (Pág.: 100)
O que os adultos sabem? Será que eles estão certos sempre? Muitas vezes eles não se importam simplesmente.
Em algum momento os questionamentos da garota me faz lembrar o Pequeno príncipe. A trajetória pela qual Millie passa com Agatha e o Digitador é uma constante troca de sentimentos, de cumplicidade, companheirismo e aprendizado. De um lado (no conto clássico francês) um homem encarando suas dificuldades ao lado de pequeno sábio no deserto, aprendendo tanto com ele como nunca se imagina aprender com uma criança. No texto de Davis o deserto e a sede estão metaforicamente representados nas dificuldades da caminhada dos trÊs personagens, em busca da mãe de Millie, que cativa facilmente e se deixa ser cativada pelo outro também.

Agatha, Karl, Millie, todos três tem algo em comum: estavam sozinhos no mundo até se encontrarem. O destino os uniu e nesse mundo de encontros e desencontros mostrou a eles que não importa a idade, todos passam por situações difíceis, todos tem problemas e fantasmas a assombrar suas vidas. Todo mundo envelhece, todo mundo morre, no entanto é essencial que antes disso saibamos viver um dia de cada vez. É preciso deixar que o amanhã seja.
PS: Eu senti muita dificuldade para escrever essa resenha porque essa história me causou um impacto muito grande. Além disso, possui uma riqueza de detalhes e situações muito grande para caber aqui numa resenha só. Por isso, decidi fazer alguns recortes e apresentar para vocês alguns pontos importantes e deixá-los curiosos para buscar o que mais poderá encontrar na história. 
Achados e perdidos é um livro forte e impactante, cheio de metáforas e passagens poéticas, outras absurdas e exageradas, mas  com um brilho impecável e uma mensagem que fará você repensar seus atos e refletir muito depois da leitura. 

XOXO,
Diih. 


18 comentários:

  1. Oi, Di!
    Quando eu estava no intercâmbio, quase comprei esse livro, mas deixei passar. Depois da sua resenha, percebo o erro que cometi.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Halloween Literário

    ResponderExcluir
  2. Oi, adorei a resenha. A capa desse livro é linda e a história parece ser também. Bjos

    Obrigada pela visita ao meu blog, já estou seguindo o seu <3

    Blog Literário 2

    ResponderExcluir
  3. Olá, Diego! Tudo bem?

    Gostaria de fazer um pedido, faça um post sobre como tira essas belas fotos para as resenhas, pois eu até tentei fazer seguindo esse estilo, mas minhas fotos sempre ficam um lixo (rsrs).

    Agora falando sobre o que interessa, gostei bastante da sua resenha e confesso que esse livro vem fazendo parte da minha lista de desejos há algum tempo, mas dinheiro que é bom...

    Achados e Perdidos me parece um livro forte, mas pelo que disse na resenha, me pareceu também do tipo que as vezes dar uma forçada na barra. Mesmo assim, eu quero muito ler, acho que vou ficar na maior parte do tempo fascinado com a narrativa.

    Uma ótima semana! http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Diih
    Sou muito curiosa por este livro, o tema dele chama minha atenção e pelos teus comentários parece ser comovente. Adorei tuas fotos como sempre, arrasou.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii!!
    Eu queria ler muito esse livro, mas acabou ficando com minha amiga com quem divido o blog... Parece ser muito bom e sua resenha me deixou mais curiosa!

    Beijos,
    Natália.

    www.doprefacioaoepilogo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Primeiramente: suas fotos ficaram linda. Já me apaixonei pelo livro pelas suas fotos :)
    Não conhecia muito da história, mas pelo que você falou deve ser magnífica, e deve deixar a gente leitor pensando na vida, nas situações.. Gostei da indicação e amei a resenha :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi, Di! Tudo bem? Ainda não conhecia o livro, mas gostei muito da capa e da premissa dele. Seus comentários também conseguiram me animar e deixar com vontade de lê-lo. Ai, ai... Adoro metáforas! <3

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, Diego.
    Eu me interessei por esse livro por causa da capa, ela é maravilhosa. Mas não sabia que a história era tão profunda. Assim que der eu vou ler, e espero gostar tanto quanto você gostou. Gosto muito de livros cujos protagonistas são crianças. Eu sei como é escrever uma resenha e por mais que a gente escreva sabe que não vai conseguir passar o que sentiu lendo o livro hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Acho que faz tempo que não leio algo narrado por uma criança, e Achados e Perdidos parece magnífico, repleto de lições e reflexões. Sua resenha ficou ótima, muito bem explicada!!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bom?
    Faz um bom tempo que não leio um livro assim e me deu uma vontade imensa de ir procurar para ler.
    A sua resenha ficou ótima e a cada paragrafo me deixou com muita vontade de ler e curiosa em relação a história;

    Sessão Proibida †

    ResponderExcluir
  11. Suas fotos são sempre tão lindas ♥
    Bom saber que o livro te impactou dessa maneira, porque assim, tenho mais interesse ainda em lê-lo. Eu já tinha visto a capa, mas não sabia do que se tratava..

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi Di!
    Acabei deixando esse livro de lado pela sinopse mas agora fiquei bem curioso para ler, espero gostar assim como voce <3
    Abraço!
    http://leituraforadeserie.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia ainda esse livro, achei um amor. A capa dele é linda demais! ❤

    Blog Minuto de Bobeira

    ResponderExcluir
  14. Oi Di,
    Esse livro já está na minha lista de desejados.
    Essa capa é tão amor <3
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Não tinha visto esse livro ainda. Adorei a resenha e fiquei mega curioso para ler ele. Abraços

    BLOG | FAN PAGE | INSTAGRAM | YOUTUBE | GOOGLE+

    ResponderExcluir
  16. Oi, Diego, meu xará.
    Gostei muito da resenha.
    O livro me pareceu muito interessante, com um tema muito bom.
    Lembrou mesmo O pequeno príncipe.
    Parece um livro de drama com superação e aprendizado.
    Abraço.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
  17. Oi Diih, tudo bem?
    Que história singela, amei <3
    Parece tocante, fofa, inocente, mas cheia de ensinamentos. Dica anotada!
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"