..

Borboletas voam pelo campo verde e a imagem colorida completa o quadro que Alice pintou em sua vida. Exposto na parede do quarto é possível ver o vestido azul e branco que a garota veste e seus pés descalços pisando o chão puro.
A menina que corre de um lado a outro pode ser confundida com a garotinha que caiu na toca do coelho e viveu seu mundo por trás do espelho. O campo onde está correndo é seu, o chão onde pisa tem pedras e machuca, o seu vestido que não é tão limpo está amassado. O céu já esteve nublado, pingos de chuva caíram pesados lá do alto, mas o azul que dá cor a imensidão voltou a aparecer.
Os pássaros naquele lugar não falam, mas cantam a manhã que acabou de chegar. As flores não montam coral no jardim, mas exalam um aroma capaz de adocicar corações. Lágrimas não geram mar e secam rápido quando um caminho – um único caminho – complicado surge sobre os seus olhos. Que eu erre! – pensa. Há apenas um caminho cheio de escolhas, melhor que vários caminhos simples, comuns. Toda e qualquer escolha que seja feita, Alice proclama a todos os erros a graça de transformá-los em acertos. E ela continua a corrida pelo grande campo. 
Sem coelho e pressa, sem corrida desesperada ou chapeleiro maluco e seu inexistente chá. Sua calma independe disso e sua doçura transcende a satisfação de ser o que ela é: complexa em seus questionamentos, decidida em suas escolhas. Não há quem ordene lhe cortar a cabeça e o seu caminho para casa não lhe mostra labirintos.
Enquanto se suja com tintas coloridas, prestes a pintar a porta de casa, a pequena de vestido comum e vida simples não precisou habitar um maravilhoso mundo. Ela simplesmente se fez maravilha dentro deste vasto espaço, escolheu cores vivas, pintou o seu melhor sorriso e escolheu, para o seu último traço na pintura, a expressão de alguém que escolheu dar o seu melhor sorriso com a expressão de um sorriso feliz.

2012 © Diego França *

4 comentários:

  1. É belo este retrato da menina bela e aparentemente frágil, que reconhece seus obstáculos, mas que vence-os com a certeza que tem.
    É belo também, Di, ter ao meu alcance a vida e as letras de um escritor de tamanha sensibilidade e coragem.

    Obrigado por nos ofertar mais um trabalho tão nobre e aconchegante.
    Espero ansioso pelos próximos.

    Cordialmente,

    Jeff Azevedo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Diego ! Tudo bem? Adorei teu espaço e to seguindo aqui :)
    Mano, que texto foda. Parabéns!
    Abraço.
    mundoemcartas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Que texto lindo!!! Amei esse misto de realidade com a fantasia de Alice no país das maravilhas. Perfeito. Parabéns!!! Bjs

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"