_____♥_____

“Não há nada mais belo que um perdedor disposto a lutar”. Essa é uma certeza que Cameron Wolfe, o caçula de três irmãos, o mais quieto de todos, tem agora. Depois de conhecer a garota dos seus sonhos e ser inundado por palavras, ele finalmente decidiu não se enxergar como um derrotado.


Cameron Wolf tem uma personalidade um tanto romântica e afetada pela imagem de uma sociedade machista. O garoto se acha feio, sem graça e está o tempo inteiro usando um tênis all star sujo. Vive numa família tradicional, onde o irmão mais velho, Steve, o mais afastado, é jogador de futebol, e o irmão do meio, Rube, um corajoso e charmoso pegador, é o seu melhor amigo e confidente. Cam, como é chamado por todos, também conta com a amizade do cão do seu vizinho. O garoto se apaixona por uma das namoradas do irmão Rube, chamada Octávia, e depois que o ‘garanhão’ rompe o relacionamento, Cameron encontra a chance de conquistar aquilo que sempre quis: uma garota a quem pudesse dar todo o amor e respeito que um homem pode dar a uma mulher. Agora que está prestes a colocar em risco a amizade com o irmão e amigo vai descobrir que é muito mais corajoso do que costuma pensar.
A garota que eu quero é um romance escrito pelo australiano Markus Zusak, autor do best-seller A menina que roubava livros, também adaptado para os telões de cinema, estreado em 2013.
 Narrado em primeira pessoa a história nos permite construir a realidade e descobrir o ‘quem eu sou’ junto ao personagem. Há uma grande aposta no uso de metáforas e a quebra de linhas nos remete as poesias da epopeia, como a narrativa de Homero, Odisseia.

“Chegamos cedo ao velho pátio da ferrovia.
Esperamos.
Meu coração machucou minhas costelas.
E de novo.
Nada aconteceu.”

Achei que o livro é de uma leitura fácil e atraente, com uma narrativa leve o suficiente para prender a atenção do leitor. O que incomodou em várias passagens do livro é justamente a insegurança e a negatividade de Cameron. Por vezes orgulhoso demais e na sua razão medroso demais. 
De maneira poética e melancólica você vai descobrir o quanto arriscar se faz necessário para resgatar uma coragem que nunca deixou de existir em você. Vai se apaixonar e se emocionar com a beleza que está desenhada nas linhas do livro.

Eu espero que vocês tenham gostado da resenha. Li esse livro ano passado e hoje, 29 de setembro, faz um ano desde a minha primeira leitura. Dei uma passada rápida pela história, ontem, porque realmente gostaria de indicá-lo e escrever sobre ele.
Bjux  
 2014 © Diego França

3 comentários:

  1. Oie Diego
    eu amo esse livro. Na verdade, fui fisgada pela vida dos irmãos Wolfe. Sua resenha ficou muito linda, e conseguiu transmitir perfeitamente a melancolia e poesia da obra.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Diego!
    Do autor, eu li A Menina que Roubava Livros e Eu Sou o Mensageiro, e gostei de ambos. A escrita dele é fácil e, especialmente nesse segundo, ele usa gírias e palavras do meio do personagem, que vivia na periferia. Me pareceu que este novo livro dele é desse tipo, bem característico, como a escrita de Markus. Adoro quando os autores pulam linhas e simulam poesias. Ainda quero ler pra conferir e tirar minhas próprias conclusões.
    Adorei sua resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabi! Primeiramente obrigado pela visita e por contribuir com sua opinião.
      Pois bem! Esse é o primeiro livro que leio desse autor e fiquei apaixonado com a maneira simples e poética de se expressar. Leia esse livro, você vai se apaixonar!

      Beijos!

      Excluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"