---- Olá,
um beijo, um abraço e meus desejos de ótimas leituras para vocês.

Já pararam para pensar se estão seguindo a vida em cima dos trilhos ou arriscando e saindo um pouco dele? 

Eu estou num momento da minha vida em que prefiro sair dos trilhos, assim arrisco mais, aprendo mais sobre mim, me desafio e desvendo mistérios da vida, assim como a personagem do livro Minha Vida Fora dos Trilhos, da autora de "Em Algum Lugar Nas Estrelas", Clare Vanderpool. O livro foi lançado no segundo semestre deste ano pela editora Darkside.

Em Minha Vida Fora dos Trilhos temos uma história que se passa no período da Primeira Guerra mundial e nos apresenta à personagem Abilene Tucker, uma garota de apenas 12 anos de idade, que precisou descer dos trilhos para seguir em frente. Na narrativa escrita por Clare Vanderpool nos deparamos com essa garota tímida e muito corajosa que fora mandada pelo pai para a cidade de Manifest para ser cuidada por um velho amigo conhecido, enquanto trabalha na construção de uma ferrovia. A menina não sabe por que o pai escolheu mandá-la para lá e não sabe também o por quê de ele nem sequer mandar notícias. Sem muito o que fazer, Abilene começa a pensar que sua estadia naquele lugar não será nada agradável, até encontrar uma caixa com alguns objetos e uma carta. Quem é o responsável por aqueles objetos e quem são aquelas pessoas que assinam tais correspondências? É a partir desse achado que Abilene irá embarcar numa viagem pelo tempo e buscará encontrar as respostas para suas perguntas. Ela vai descobrir muito mais do que imagina, não só sobre a história de dois rapazes, como também sobre ela mesma.

"Minha Vida fora dos trilhos" é uma narrativa rica em detalhes significativos para a trama. É uma trama linear, não apresenta grandes acontecimentos, mas grandes mensagens são passadas nas entrelinhas, através das reflexões da personagem. Narrada em primeira pessoa, pela voz da personagem Abilene, a história "tanto pode te levar de volta à infância como ao tortuoso caminho para o amadurecimento."

Mas não é só Abilene que tem voz na narrativa. No primeiro momento estamos no presente conhecendo os anseios e medos da personagem, bem como sua relação de muito amor e cumplicidade com o pai. No entanto, há uma virada no tempo quando um personagem começa a contar outra história que envolve dois rapazes que viveram em Manifest numa época diferente. 

Uma narrativa dentro da outra; duas história em apenas uma. Esse é um dos pontos altos da história escrita por Vanderpool. O outro ponto da trama que funciona como um convite e serve para entreter o leitor é o mistério que paira pela vida de Abilene e consequentemente de nós leitores. Onde está Gideon (seu pai), por que ele escolheu mandá-la para Manifest? E além desses questionamentos que serão revelados somente no final vamos entendendo, aos poucos, onde cada personagem se encaixa na trama. Volto a dizer que os detalhes são de suma importância e são também reveladores. 

Um dia Abilene está vivendo de cidade em cidade com seu pai, no outro ele decide que viver a vida caminhando pelos mesmos trilhos não é algo que irá beneficiar a garota, por isso ela é mandada pra Manisfest, para ser cuidada por um grande amigo de seu pai até que ele volte. E aqui está uma grande sacada. Chega um momento na vida em que é preciso sair dos trilhos e encontrar seu caminho, viver as dificuldades da vida e conhecer um pouco mais de si. Os desafios pelos quais Abilene passa agrega uma experiência necessária para sua vida e seu crescimento.

O universo criado para a história consegue ser misterioso e muito sombrio também. No entanto, em meio a esse ambiente cinzento, encontramos cor na imagem da infância "desenhada" pela autora. Temos Abilene e duas garotas vivendo aventuras e questionamentos que toda criança faz. E são nesses momentos em que revisitamos nossa infância e nossas brincadeiras; lembramos nossa capacidade criativa para contar e recontar histórias. E esse é uma das coisas mais bonitas que encontrei na narrativa.
"Eu ficava admirada como cada objeto havia entrado na história da srta. Sadie. Depois de todo esse tempo trabalhando na casa dela, havia conforto em saber que eu estava conectada às suas histórias. Por intermédio daqueles objetos que eu encontrei debaixo de uma tábua (...) eu estava conectado àquele lugar e àquelas pessoas." (Pág.:184)
Embora tenha encontrado muitos pontos positivos em "Minha Vida fora dos trilhos", não diria que esse é um livro empolgante, nem que a personagem Abilene é uma personagem cativante e marcante. A narrativa prende mais por conta do mistério do que por grandes acontecimentos (que não há). Alguns capítulos podem ser bem chatos, visto que são descritivos demais e com poucos diálogos, e nos levam ao mesmo lugar sempre: uma volta no tempo. Diria que a história que está por dentro da história é mais interessante do que a narrativa que está em primeiro plano. 

A edição do livro é linda, tem um trabalho de capa espetacular e um mapa da cidade onde se passa a história. As fontes mudam a depender do momento e da voz que fala na narrativa e isso não a deixa confusa. Também temos acesso a alguns jornais lançados na época em que a história se passa. 

Como uma escrita leve e agradável, Clare Vaderpool nos pega pela mão e nos envolve numa narrativa que, embora não seja tão empolgante e em alguns momentos pouco atrativa, nos apresenta a beleza da infância, de contar histórias, de viver essas histórias e de dar asas à imaginação. Uma história sobre amizade, união, amor e descobertas.

Beijos,
ótima leitura.


18 comentários:

  1. Oi Diih
    Eu fiz várias tentativas para ler este livro e consegui concluir ele nas minhas férias. A história é boa mas não me conquistou, e eu só tinha vontade de ler o presente, as histórias do passado não me prenderam.

    Beijinhos
    https://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nessa. Me senti como você, porém me interessava mais pelo passado.

      Bjux.

      Excluir
  2. Como eu ainda não conhecia esse livro, ainda mais sendo da DarkSide?? Adorei a premissa, parece ser algo mais leve mesmo em conta a época em que a trama se passa, e gosto bastante quanto os autores contam duas histórias em uma e no final elas se conectam. Ótima resenha!!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol! Essa é uma história legal, não é ruim. Só não me senti tão conectado e conquistado por ela. A edição é sem dúvida maravilhosa.

      Bjão.

      Excluir
  3. Não conhecia, mas gostei bastante da tua review, parece ser uma leitura bastante interessante! =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Margot! =)
      A história é muito legal sim, apesar de não ter me conectado tanto eu indico porque realmente é boa.

      Bjão.

      Excluir
  4. Oi, Diego!
    Eu tenho um problema enorme com muitas descrições. Já aconteceu de eu pular algumas partes porque não aguentava mais ler sobre como a neve do lugar estava branca e brilhante hahaha
    Eu não sei se esse livro me chamou a atenção, mas adorei sua resenha!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mari!
      Se você der uma chance a ele pode gostar, não é uma história ruim, você pode gostar.

      Bjão.

      Excluir
  5. Oie!

    Adorei a resenha. Quero muito ler esse livro. A DarkSide arrasa sempre em suas edições assim como você arrasa sempre nessas fotos maravilhosas!

    Abraços...

    https://submundosliterarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michael! A darkside é maravilhosa mesmo, tanto em atenção com os fãs quanto nas edições de livros que publicam.

      Obrigado pelo elogio sobre as fotos =_)
      Abraço.

      Excluir
  6. Oi Diego,
    Essa primeira resenha que leio sobre esse livro e adorei.
    Estou aprendendo gostar de narrativas que se passam em épocas de guerra, ainda mais quando envolve crianças, dá um tom emotivo, na certa. Fiquei curiosa.

    tenha um ótimo final de semana.
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nana!
      Aprendi a gostar de histórias em períodos de guerra há pouco tempo também, inclusive através dos livros da Darkside.

      Espero que leia e goste.
      Bjão

      Excluir
  7. Oi Diego!
    Cara,eu adoro essa autora.Ela tem um dom de fazer o leitor mergulhar dentro da história mesmo sem grandes acontecimentos ou uma trama complexa.Aliás esse é o grande diferencial das histórias dela:simplicidade com mensagens bem bacanas sendo passadas.
    Quero demais ler esse livro,a edição é linda e a história parece ser maravilhosa e reflexiva!
    Abraço!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com o que você disse. A autora realmente tem uma escrita excepcional, leve e poética. E sim, não tem muitas reviravoltas, mas o fato de não ter me conectado com a personagem acho que atrapalhou um pouco minha conexão com a história. Para mim não foi um livro macante.

      Abraço.

      Excluir
  8. Olá,
    Pena o livro não ser tão empolgante, acho que eu faria a leitura dele, mas não nesse momento.
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faça a leitura dele. Apesar de não ter me conectado tanto não digo que é um livro ruim. Você pode gostar.

      Bjão

      Excluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"