♥ Olá! 
você apaixonado por leituras leves, histórias que envolvem família, amizade e ainda tem como personagem o melhor amigo do homem. A Novo Conceito apresenta SEMPRE HAVERÁ VOCÊ, da autora Heather Butler.

Uma Família, um cão e um novo começo...

Em Sempre Haverá Você temos o garotinho George, tão doce inteligente e esperto, e Theo, seu irmão mais novo, o tipo de garoto que deixa qualquer pessoa de cabelo em pé. Além deles, você vai conhecer uma família unida e cheia de amor e um cachorro chamado Goffo. Quem conta essa história é o primogênito da família numa espécie de diário onde escreve seus pensamentos e acontecimentos de forma única. Ele tem um jeito peculiar de escrever e destaca as palavras da seguinte forma: as preferidas ficam em negrito e as que não gosta escreve com letras pequenas demais. É muito amigo e ama demais seu irmão, embora muitas vezes perca a paciência com ele. Também adora brincar de um joguinho em que ele e a mãe falam palavras novas. Aliás, a mãe do George é a pessoa favorita da vida dele mesmo que tenha amor pelo amor pelo melhor amigo, Dermo, pelo pai, os avós, seu cão. Mas agora a sua pessoa favorita da vida está muito doente e nem brinca mais de palavras novas, não sorri como antes, nem inventa poemas com o Theo. Tudo o que George deseja é fazer a mãe sorrir novamente, que ela possa voltar a brincar feliz e seja curada. Mas aos poucos ele vai aprender muito sobre a vida, e principalmente que existem coisas invencíveis e é preciso saber lidar com isso.

Quem leu A mais pura verdade, livro do Dan Gemeinhart, também publicado pela Novo Conceito, pode se identificar com a história, embora a narrativa de Butler seja mais rápida e direta. A semelhança está nos personagens cativantes, na união familiar, na graça da história e na força dos personagens.

Butler escreveu uma narrativa onde o ponto alto é a família e é lindo vê-la tão unida (embora seja perfeita demais, como naqueles comerciais de margarina). Pais atenciosos, que brinca com seus filhos e que estão sempre com eles, não deixando que lhes falte amor e companheirismo; união entre irmãos, proteção e cumplicidade também faz parte da história. E para completar um cão chamado Goffo, que é a diversão da casa. O texto é sutil, é rápido, é aconchegante, mas possui algumas falhas.

Narrado em primeira pessoa na voz de um garoto de com pouco mais de 9 anos de idade, temos uma narrativa despretensiosa, leve e fluida. Isso ajuda muito a seguir com a leitura e acredito que seja esse um dos motivos para eu ter chegado tão longe em tão pouco tempo. Porque de capítulo para capítulo temos uma quebra brusca na narrativa, começando novas situações e deixando muitas coisas soltas de um momento da narrativa para outro. Será que isso pode ser justificado pelo formato da narrativa (uma criança escrevendo no seu diário)? Seja como for, a doçura de George e a empatia que ele causa no leitor compensa.

No entanto, a questão da quebra da narrativa não me incomodou tanto quanto alguns conceitos machistas que encontrei no texto. No momento em que estamos lutando contra os rótulos, lutando pela igualdade, pelo respeito na causa LGBT, querendo excluir conceitos de que "isso é para menina e isso é para menina", por exemplo, a autora coloca no seu texto uma passagem em que o próprio personagem decide não escolher um objeto de cor rosa porque essa cor não é para um menino. Entendo que a imagem de família bonito que citei no início seja a tão comentada família tradicional, cheia de regras e rótulos. Sou a favor da família, deixo claro; mas sou contra os rótulos. 

De modo geral, Sempre haverá você é uma história leve e rápida que pode encantar e divertir o leitor pela ingenuidade dos personagens e suas peripécias. Uma história que tinha tudo para ser mais, no entanto apresenta um texto raso. Não diria memorável, mas é uma história carinhosa e gentil.

Bju,






10 comentários:

  1. Eu prezo muito a família, e deu para ver pela sua resenha que esse livro é bem amorzinho, que traz uma mensagem muito linda de companheirismo e da importância da família também :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Di! Tudo bem? Que horror esse negócio da cor rosa. Foi mancada dá autora aff Mas mesmo assim, o livro parece ser legal. Acho essa capa muito bonita.

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie, tudo bem?
    Esse livro é muito amor, livros que envolvem criança, cachorro e doença em fazer chorar muito, e com Sempre Haverá Você não foi diferente, adorei acompanhar o George e ver como uma criança enxerga tudo ao seu redor, uma família super fofa, e um cachorro travesso háhá <3
    Parabéns pela resenha, essa questão da cor rosa realmente foi uma bola fora da autora, mas no geral é um livro bom, e leve.
    Você escreve super bem *-*
    Beijos! Seguindo aqui <3
    http://linegoettems.blogspot.com.br/
    Têm sorteio de um e-book lá no blog, participe!

    ResponderExcluir
  4. O livro parece ser fofo e se ele se parece com "A mais pura verdade" eu tenho certeza de que irei adorar. Só que esta mancada tira muito do teor da história. Os autores precisam entender que a família mudou e que ainda que esse fosse um traço da família tradicional do livro, poderia haver uma fala de uma outra personagem pelo menos questionando isso...Enfim, apesar disso, achei que o livro é leve e desses que podemos ler despretensiosamente em uma tardezinha fria de feriado como hoje, rs. Beijos!

    Ilmara F.

    ResponderExcluir
  5. Oi Dih! Que pena que vc não curtiu, a colaboradora do blog amou o livro. Eu ainda não li, mas parece ser fofo de todas as formas!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante
    Sorteio A guerra que salvou a minha vida

    ResponderExcluir
  6. Oi Diego!
    Assim que vi esse livro lembrei na hora de A Mais Pura Verdade!
    Fico com um aperto no coração com essas histórias onde tem cachorro,fico com medo dele morrer,ainda não superei Marley e Eu.....
    Bom saber que é uma história leve,com amizade e companheirismo.Parece ser uma história simples,direta e que dá a sua mensagem de forma direta,gostei!
    Abraços!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Diego, tudo bem?
    Gostei da resenha e das ressalvas.
    Infelizmente autores são humanos, e muitos deles ainda não perceberam que representatividade e quebra de preconceitos são tão importantes.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  8. Oi Diego,
    Ah, esse livro parece ser tão fofo, mas me passou ter um toque emocional também. Até pq você ainda mencionou A Mais Pura Verdade.
    Eu vejo cachorro em capa de livro, já quero sair correndo kkkkkk só deixa a gente na bad. Ótima resenha!

    tenha uma ótima semana :D
    Nana - Canto Cultzíneo / Novo Twitter

    ResponderExcluir
  9. Oi Diih
    Estou precisando de um livro como este, parece ser uma história bem gostosa de se ler, e o enredo me agrada bastante. Adorei sua resenha.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"