Olá, pípol!

Depois de muito tempo querendo e só esperando a oportunidade para conhecer Bridget Jones, enfim consegui. O livro que foi publicado nos anos 90 apresenta o diário de uma das personagens mais queridas pelos leitores, uma mulher que sofre com os ditos "moldes" impostos pela sociedade, em situações que ainda podem ser vistas atualmente.

Bridget Jones é uma personagem querida por milhares de leitores em todo o mundo e agora tem seu diário republicado pela Editora Paralela, numa edição linda de capa e diagramação. Enquanto Bridget vive situações amorosos inesperadas e situações atrapalhadas, nós leitores acompanhamos tudo: nós estamos lendo neste momento o diário de Bridget. No diário ela conta sua paixão pelo seu chefe, o charmoso Daniel, por quem ela suspira durante seu dia-a-dia no trabalho. Conta também os problemas  familiares pelos quais passa, as desavenças principalmente com a mãe, que está o tempo inteiro tentando arrumar um marido rico para ela. Nessa tentativa de arrumar um namorado para a filha, a mulher apresenta o advogado Mark Darcy, um homem sério, com uma boa qualidade de vida, que tem um pé atrás com Daniel por um acontecimento do passado. Nesse "diário" também vamos acompanhar a luta de Bridget para perder peso e estar de acordo com os moldes de corpo perfeito, bem como a luta para parar de fumar e beber e controlar a ansiedade. Na companhia dos amigos (o clichê da amiga romântica e sonhadora, o melhor amigo gay e aquela amiga totalmente pé no chão) Bridget encontra conforto para superar e amenizar suas crises de baixa auto-estima e de idade, até que um romance inesperado aconteça. É um ano acompanhando a vida de Bridget Jones, até chegar à grande realização da mulher no ano seguinte.

Sou fruto da cultura Cosmopolitan, fui traumatizada por supermodelos e todo tipo de testes e sei que nem minha personalidade nem meu corpo darão conta do recado  se não forem bem trabalhados. (Pág.: 61)

O Diário de Bridget Jones é um livro que aborda com bom humor a história de uma mulher  que tem a auto-estima abalada, vivendo uma crise dos 30 e poucos anos, devido às imposições sociais que ditam o peso ideal, a maneira ideal de se comportar, a idade certa para casar, e que mostra a dolorosa realidade do preconceito das pessoas em relação a uma mulher que ainda não casou ou teve sequer um relacionamento duradouro aos trinta anos. Por essas e outras que a narrativa de Helen Fielding é tão necessária e dialoga perfeitamente com nossa atualidade.

Uma das coisas que mais me chamou a atenção na narrativa é a facilidade de sentir empatia pela personagem, que conquista você, mas também consegue despertar um sentimento de irritação, de ira. Digo que isso pode ser legal porque ao mesmo tempo que o leitor gosta da personagem e torce para que tudo dê certo para ela, quanto mais ela parece fraca, boba e irritante - porque ela é!- em alguns momentos, ele também pode se sentir apático e incomodado, e perceber que ele deseja para si totalmente o contrário disso. É como se fosse um arranhão para o despertar da consciência no leitor.

Bridget é a mulher de ontem, em contraste com a mulher de hoje, vivendo numa sociedade em que pouca coisa mudou se pararmos para perceber que o modelo ideal de mulher ainda é ditado pela sociedade. Bridget entende que precisa ser magra para os homens olharem para ela; a todo o momento a mãe da personagem aponta o modo chulo de falar, da filha ("Querida, não diga 'que', diga 'desculpe, o que disse?"), que também é criticada pelo modo de se vestir. A diferença da Bridget para boa parte das mulheres de hoje é que elas já se levantaram e lutam pela igualdade. E por falar em lutar pela igualdade o livro traz a personagem Sharon, que é uma das melhores amigas de Jones, é uma mulher totalmente desencanada das imposições e não se abala com as críticas e o olhar das pessoas sobre sua vida. Ela tem respostas para tudo e acredita que mulher para ser mulher não precisa necessariamente ser casada.

O livro teve sua publicação oficial em 1996 e na adaptação para o cinema trouxe a atriz Renée Zellweger como personagem principal. O longa tem uma trilha sonora maravilhosa, destacando All By Myself, música primeiramente cantada por Celine Dion, dessa vez interpretada pela cantora country Jamie O'Neil. A atriz que interpretou Bridget fez tão bem seu papel, que foi indicada ao Globo de Outro, em 2002, como melhor atriz - o filme também foi indicado na categoria de melhor filme comédia/ musical. No entanto, apesar do sucesso, ainda prefiro o brilho e os detalhes presentes no livro, que apesar de ter me deixado na corda bamba - entre o amor e o ódio - se fez uma leitura extremamente agradável.

O Diário de Bridget Jones é um livro totalmente atemporal, que mostra uma mulher totalmente refém da pressão social e da cultura machista que está presente em cada canto do mundo. E a autora usa essa mulher totalmente submissa a todas as expectativas sociais para mostrar o quão diferente você deve ser e o quanto você deve lutar para se sentir bem do jeito que é. Uma leitura divertida e ao mesmo tempo realista e atual.

XOXO,
Diih

29 comentários:

  1. Oi Diih
    Eu tenho a primeira versão deste livro, eu adoro, é muito divertido mesmo e tema super atual. O filme tbm é super legal, quero muito agora o segundo livro que ainda não tenho.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nessa!
      Estou para começar a leitura do segundo livro. Vamos só ver o que vai ser.

      Bjão.

      Excluir
  2. O formato de diário deve ser muito interessante de se ler. Apesar de nunca ter lido nenhum livro sobre a história, já assisti alguns filmes, e adoro a personagem. Além de que ela é super engraçada em algumas situações :)

    http://www.vivendosentimentos.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, MOnique!
      =)
      Adoro leituras de e-mails, diários, cartinhas... Narrativas nesses formatos me ganham. Jones é irritante, mas também é um amor e é engraçada.

      Bjão.

      Excluir
  3. Oi, Diego!

    Gostei da análise, quando eu assisti ao filme há alguns anos atrás, só achei engraçado, não percebi toda essa crítica e o modo como a Bridget sofria, por ser um filme de comédia, não dava o tom que você trouxe na sua resenha. Fiquei com vontade de ler agora, e também com vontade de assistir novamente.

    Bjs, Hel - Leituras & Gatices

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helena. São leituras e leituras, né. A gente sempre descobre coisas novas com o passar do tempo.

      Bjão.

      Excluir
  4. Olá, Diego.
    Adorei sua resenha. Eu confesso que nunca tive vontade de assistir ou ler sobre a história, mas lendo sua resenha eu quis ler. Achei a capa linda e acho que vou ter uma relação de amor e ódio com a Bridget hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil! Que bom que causei essa influência, rs. Acho que vai ser uma leitura legal pra você sim.

      BJão.

      Excluir
  5. Hey Querido... Que blog lindo!
    Já li e amei o livro, muitas vezes queria que ela parasse de ser tão boba haha
    Sua resenha ficou maravilhosa!
    Beijos ❤
    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Melissa. Obrigado pelos elogios, linda. E sim, Bridget é tão boba que irrita às vezes, né?

      Bjux.

      Excluir
  6. Di, seu lindo!
    Resenha maravilhosa e muuuuuuuito bem escrita hein?! Apaixonei hahah
    Já assisti os filminhos, mas sinceramente, depois da sua resenha, quero começar a ler os livros AGORAAA! Eu amo quando o livro trás tantas sensações para o leitor, e ao mesmo tempo tem uma mensagem importante.
    Colocarei na wishlist infinita torcendo por uma promoçãozinha na blackfriday hahahah

    Um beijoooo,
    Paloma
    ps:AIII QUE FOTOS LINDAS <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Palomaaaaa! Quanto tempo, linda!
      Menina fico feliz que tenha gostado da resenha, espero que leia os livros, hein! Essas novas capas estão lindas e a diagramação mais ainda.
      Boa sorte com a promoção da BF.

      Bjux;.

      Excluir
  7. Oi, meu rei

    Como não amar a Bridget? Como não querer dar uns sopapos nela às vezes? A personagem é muito carismática e divertida, e olha que eu só assisti aos filmes.
    Quando vi o livro no cataloo eu senti vontadezinha de solicitar, mas acabei adiando. Mas agora lendo sua resenha sinto que preciso ler o livro, pois sinto que vou me divertir ainda mais!
    Amei as fotos!

    Oi, Carol

    Como assim o povo não gosta de postagem de terror? Terror é show de bola! Hahahaa
    Eu fiquei de olho nesse livro quando ele foi lançado, mas na época não comprei e acabei esquecendo.
    E adivinha, estou deitada na minha cama e tá um calor da desgrama aqui no Rio, quando li a citação até botei o cobertor, sem brincadeira! Hahahahahaha

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, meu rei

    Como não amar a Bridget? Como não querer dar uns sopapos nela às vezes? A personagem é muito carismática e divertida, e olha que eu só assisti aos filmes.
    Quando vi o livro no cataloo eu senti vontadezinha de solicitar, mas acabei adiando. Mas agora lendo sua resenha sinto que preciso ler o livro, pois sinto que vou me divertir ainda mais!
    Amei as fotos!

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carioca, leia!
      Se você viu os filmes tem que ler agora. Que coisa é essa? rs.
      Ai, ai.

      Bjux e obrigado pelo elogio.

      Excluir
  9. Oi Dih! Ainda não li essas reedições e tenho curiosidade de saber se houve alguma mudança na tradução ou no desenvolvimento da história...
    Bom, quanto aos filmes, até que fiz uma maratona agora nas férias rs, e fui ao cinema assistir o "filme do bebê" <3 Em relação a Bridget que sofre de amor versus a Bridget que dá a volta por cima, concordo com a Helena, acho que a personagem não tem muito desse engajamento, e talvez por isso permaneça "atemporal", já que para sobreviver aos altos e baixos do amor é preciso alguma leveza, e alguma esperança de que após a tempestade, o choro e a bebedeira alguma coisa vai acabar dando certo...
    Gosto de comédias assim, mais "bobinhas" mesmo. Sei lá, to idosa rs, e já na idade de pensar menos em política e começar a viver o que estiver aí pelo caminho <3
    Bjusssssss,
    Reb

    http://blogpapelpapel.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Reb!
      Menina acredito que por ser uma outra editora a publicar esse livro a tradução tenha sofrido alguma diferença sim (será?). De qualquer forma as novas edições estão lindas.
      Leia.

      Bjux

      Excluir
  10. Oi Diego,
    Adorei a resenha, confesso que nunca li o livro ou assisti ao filme todo, mas acho a premissa da história muito interessante.
    Fico feliz que tenha gostado.
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  11. Olá Diego, tudo bem?
    Já assisti ao filme e eu sei que o livro é sempre melhor mas ainda não tive muita vontade de ler,rs.
    Mas gostei muito da sua resenha e vou tentar dá uma chance ao livro.
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI, Esther, espero que leia o livro também. COmo sempre tem mais detalhes.

      Bjux.

      Excluir
  12. Oiii! Eu amei o seu layout <3 tá super fofo
    Eu amo os filmes de Bridget desde criança, você acredita? Sempre me diverti assistindo! Eu li o livro e adorei, é que nem ler o livro Delirios de Consumo de Becky Bloom: o filme é mt bom, o livro então é ótimo <333 Eu adorei sua resenha, bem escrita!

    bjs, Carol | Espilotríssimo
    http://carolespilotro.com

    ResponderExcluir
  13. Oi, Diego, como vai?
    Acredita que nunca assisti ao filme nem conheço a personagem? Pois é!
    Apesar disso, acho que iria achar o livro bem divertido e, talvez, iria simpatizar com a protagonista.
    Acho que a leitura desse livro é super válida, levando em consideração o momento em que vivemos do empoderamento feminino.

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oie, tudo bom?
    Eu conheço a personagem, mas nunca vi o filme e nem sabia que tinha o livro. Mas esse livro com toda a certeza do mundo eu leria, é bem meu estilo e se até uma aventura nova, já que a personagem é mais velha.
    É uma tema realmente interessante para se abordar. Nós mulheres não devemos nós preocupar o que a sociedade acha que devemos ser, certo?
    Adorei a sua resenha.

    Sessão Proibida †

    ResponderExcluir
  15. Oi Diego,
    Preciso ler e assistir Bridget Jones!
    Acredita que ainda não a conheço?
    Sempre vou adiando... Desse final de ano não pode passar!
    Beijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Que capa linda! Só por ela já dá maior vontade de conferir a obra. Obra essa muito comentada, aliás, mas infelizmente nunca tive oportunidade de ter em mãos. Adorei a resenha!!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Oiii Diego!!

    Ai que resenha maravilhosa! O que importa é que o livro despertou sentimentos em voce, seja amor ou seja ódio, parece que não te deixou indiferente em nenhum momento. Ponto pro livro porque o despertar sentimentos significa que teve conteúdo.
    Eu vi o filme com o Hugh Grant e a Renee, achei legalzinho, mas como vc disse , certamente há detalhes no livro que não foram para o filme, e acredito que isso fez falta.
    Achei as fotos lindas, e apesar de não ser muito o meu estilo de leitura, não descarto conferir o Diário de Bridget em algum momento.

    Beijos.

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  18. Que resenha gostosa de ler! Eu vi o filme da Bridget, minha parceira de blog, a Mi, já leu e sempre fala muito bem desse livro... Aaaaah fiquei com muita vontade de ler esse livro... Acho que vou gostar!

    Jaci
    O Que Tem Na Nossa Estante

    ResponderExcluir
  19. Oi, Diego! Essa edição nova está linda! Eu assisti ao filme quando era adolescente, aí soube que era baseado em um livro e fiquei com vontade de ler... Mas não passou disso. Não vou resistir à essa edição!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  20. Oi Diih, tudo bem?
    Adorei a dica, quero ler!
    Confesso que os filmes me chamaram a atenção primeiro, parecem ser super engraçados, mas sua resenha me deixou com vontade de conferir o livro. :D
    Beijos,

    Priscilla
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"