Será que a melhor coisa pode 
acontecer no pior momento

Olá, pessoal! 


Em algum momento da vida é comum que nossos problemas afetem nosso emocional a tal ponto de nos colocar para baixo e achar que a nuvem negra nunca vai embora. Mas acho que já vivemos o suficiente para saber que isso passa, não é mesmo? Às vezes, o tempo é o remédio, mas, às vezes, ter quem nos apoie, nos abrace e nos dê a mão é como uma luz sobre nós; uma mensagem de que não estaremos sozinhos na batalha pela paz.

A personagem Lucille, de Essa Luz Tão Brilhante, está passando por um momento conturbado na vida. Primeiro seu pai teve um ataque de loucura e por conta disso foi internado. Depois sua mãe, alegando que precisava de um tempo para descansar, disse que ia passar uns dias fora e não voltou mais. Com apenas 17 anos a garota se vê sozinha, tendo que cuidar da irmã de 9 anos e assumir a responsabilidade da casa. O pior disso tudo é o fato de que, caso ela não consiga arrumar um emprego logo para pagar as contas e fingir para os vizinhos que está tudo bem, Luci pode perder a guarda da pequena Wren, que está tendo problemas na escola por conta da falta dos pais. Com a ajuda de Eden - companheira e melhor amiga, que está sempre disposta a ajudar - e o irmão gêmeo da garota - o ruivo, lindo, atraente e comprometido -, Digby, Lucille encontrará forças para encarar esse grande problema. Um anjo secreto também dará conta de tornar melhor os dias cinzentos das meninas. Mas quem é essa pessoa misteriosa que cuida do jardim, da casa, do carro da garota e da dispensa de casa que agora está sempre cheia?  

Essa Luz Tão brilhante é a história de uma garota que descobre uma grande força dentro de si enquanto aprende que a vida e o amor podem ser improváveis, assustadores e maravilhosos - tudo junto e misturado.

A primeira definição que eu daria para o livro é que ele é pura poesia. Poesia feita com palavras, que transformam frases leves e sensíveis num enredo tão metafórico e dolorosamente emocionante. Mas também é pura poesia a relação de amizade entre os personagens, pinturas que transformam o cinza da vida de Lucille em uma tela cheia de cor numa luta contante do dia-a-dia. 


A narrativa é feita em primeira pessoa, então tudo o que saberemos sobre a vida de Luci de início será limitado, o que gera uma ansiedade no leitor e uma vontade de ler até o fim. Por sinal, é um livro de leitura fácil, é um livro curto também e envolvente. A personagem principal é uma verdadeira heroína, porém, como todas as heroínas ela poderá encantar você e, num dado, momento desconstruir seu encanto. É justificável alguma postura arrogante acerca dos problemas? Você poderá responder essa pergunta em silêncio, quando a personagem começar a te incomodar de alguma forma. Mas isso só acontece porque Luci é gente como a gente. Uma das personagens mais reais que li atualmente, que fala sem medo e, às vezes, age de maneira inconsequente. É uma personagem extremamente verdadeira.

As pessoas me surpreendem, a forma como precisam se jogar em cada tragédia real ou em potencial como se pertencessem a elas, como se não conseguissem deixar para lá quando têm a chance de se envolver em alguma coisa. O Facebook e tudo o mais pioram tudo." - Pág.:156 

Eden e Digby, são irmãos gêmeos e dizem que os gêmeos sentem juntos, são cúmplices, certo? Com eles é exatamente assim. Vem de uma família com uma condição de vida melhor, mas de uma humildade encantante. Eles amam Lucille e Wren, o tipo de criança que parte seu coração na história não por ser uma criança ruim, mas por ser uma criança inteligente, esperta e doce demais para correr o risco de se tornar uma pessoa dura ao longo da vida. Você acha que isso pode acontecer e, trazendo para a vida real, acha justificável?

Todos os personagens foram desenvolvidos de maneira a preencher lacunas que faltam na história. No entanto, a solidariedade e o amor e suas nuances - o amor amigo, amor de irmão, amor romântico, amor família - é o personagem principal. Quando muito falta à personagem principal e sua irmã o amor é como um combustível para que a garota consiga seguir em frente com tantos problemas carregando nas costas. 

- Às vezes acho que não estou fazendo um bom trabalho. Eu é que me deixo triste. A situação me deixa triste. E eu gosto de ver que você 'parece' feliz. Mas, Wren, se você não estiver feliz de verdade, não precisa fingir. As coisas estão difíceis agora, mas não vai ser assim pra sempre. E eu prometo, prometo que sempre vou tomar conta de você. - Algo me sobe com força. - Não importa o que aconteça, eu nunca, jamis, vou deixar alguém tirar você de mim. Nós vamos ficar juntas enquanto você precisar de mim. 

Essa luz tão brilhante é um livro que representa o vazio, mas também o afago; representa a dor, mas também o abraço; representa a queda, mas também a esperança. É um livro para dizer a você que coisas incríveis pode sim acontecer nos momentos mais inesperados. E como disse Jennifer E. Smith, autora de A Geografia de nós dois, é um "lembrete de que a vida pode - e vai - nos surpreender."

Estou transbordando amor e me pintando de cores brilhantes. 
Permita-se ser um quadro colorido na sua própria vida.

Explique qual é o objetivo de viver se você não estiver disposta a lutar pelas verdades do seu coração, a correr o risco de se machucar. Você precisa ter fúria. - Pág.: 195
Essa Luz tão brilhante é da autora Estelle Laure, que mora no Novo México. O livro, que tem o título original This Raging Light e já foi traduzido para mais de 10 idiomas, chegou ao Brasil este ano e foi publicado pela Editora Arqueiro. 

XOXO
Diih

9 comentários:

  1. Aí que lindo!!! Já quero!
    Amei a resenha Di.
    Besos

    ResponderExcluir
  2. Olá, Di. Que resenha maravilhosa!
    É sempre bom quando os autores escrevem com paixão ao ponto de transmitir isso a seus leitores. Eu não vejo a hora de poder ler esse livro, ele me parece profundo, tocante e real.
    Beijo! Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  3. Oi, Di!
    Gente, é cada resenha maravilhosa que leio desse livro. E eu jurando que ele era de autoajuda haahhahha
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da promoção 5 Anos de Além da Contracapa
    Participe do sorteio Halloween Literário

    ResponderExcluir
  4. Olá Di, tudo bem?
    Eu nunca tinha visto nada referente a esse livro e confesso que fiquei muito interessado nele, assim que dê irei da um jeito de ler ele. Adorei a resenha.

    Beijos!
    https://meumundoraay.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii Diego,
    Estou morrendo de vontade de ler esse livro, parece ser muito bom mesmo.
    Com certeza está na minha lista de leituras e espero gostar tanto quanto você.
    Uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  6. Oi Diih
    Eu estava curiosa por este livro, mas fiquei com medo de me decepcionar e acabei não pedindo para editora. Mas sua resenha me deixou com vontade de ler, o enredo é muito bom.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Diih!
    Não tinha ideia da temática desse livro. Pela capa me parecia mais um chick lit.
    Acho fundamental os personagens apresentarem essas nuances. De fato, ninguém é perfeito e autores que tentam fazer seus personagens perfeitos acabam por prejudicar a história porque não conseguimos acreditar neles. Se fosse o caso, você certamente não teria "transbordado de amor pelo livro" ;)
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Acho esse livro lindo demais e ainda pretendo ler <3

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"