Olá, pessoas! 

💬

Como andam as leituras? A coisa aqui está louca, louca, viu! Mas tô tentando chegar lá - este momento estou tentando concluir uma leitura que está sendo muito - mas muito mesmo! - gostosa. Breve trago a resenha. Mas vamos ao que interessa: Neil Gaiman e seu discurso.

Neil Gaiman é autor best-seller e já escreveu livros de sucesso, um escritor premiado e aclamado pela crítica, que conquista leitores e mais leitores com suas obras - só neste ano a Editora intrínseca já publicou dois livros dele. Em maio de 2012, Gaiman foi convidado para discursar numa festa de formatura, de estudantes de Arte, da University Of The Arts, na Filadélfia. O discurso fez tanto sucesso que foi transformado em livro. Mas também, não é para menos. O discurso sábio de Gaiman, atrelado à simplicidade das palavras e o bom humor com que expôs suas experiências podem ter influenciado muita gente a querer e a ser melhor. 

Num momento em que o lucro é o grande mérito a ser conquistado, boa parte das pessoas escolhem profissões que te deem um salário que seja satisfatório, mesmo que isso implique em fazer aquilo que nunca quis. Mas será que isso não vem a ser perigoso para a qualidade do trabalho? Gaiman tem uma resposta para isso. Se ele é bem sucedido na sua arte? A resposta está no discurso "Faça boa arte" e no sucesso dos trabalhos já publicados pelo autor. 

A todos os que se formam hoje: eu lhes desejo sorte. Sorte é útil. Muitas vezes você vão perceber que quanto mais trabalham, e quanto mais sabedoria dedicam ao trabalho, mais sorte têm. Porém, existe a sorte pura e simples, e ela ajuda.

Neste pequeno grande livro você vai encontrar um conteúdo útil e especial para você - seja estudante de arte ou não -, lições sobre criatividade, bravura e força. O que Gaiman fez foi encorajar os jovens alunos a dar o melhor de sim, a agirem com coragem, quebrar regras e inovar sempre nesse mundo de transições contantes. 

As regras do possível ou impossível no mundo as artes  foram criadas por gente que não desafiou os limites do possível  tentando ultrapassá-los. Você pode fazer isso.

Quem criou o design do livreto foi Chip Kidd. Ele atua como designer gráfico e escritor em Nova York. Tenta fazer boa arte, mas na maioria das vezes só comete erros. Se eles são interessantes, impressionantes, gloriosos ou fantásticos, só o público por dizer.

XOXO
Diih


4 comentários:

  1. Oi, Diego. Eu como uma recente fã do Gaiman, ouvi falar há pouco tempo, um ano mais ou menos, desse livro/discurso. Acho muito interessante o modo como ele encara as coisas e sou uma profunda admiradora do trabalho dele.

    Bjs, Hel - leiturasegatices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Um dia desses eu sai para ir ao cinema, como sou professora pago meia hohoho qualquer dia da semana hohoho, e passei na banca e vi esse livro, passei direto, fui comprar meu ingresso... Então na hora de comprar dei meia volta, peguei o livro, um café e uma porção grande de batatas... Foi uma das melhores tardes da minha vida essa tarde que passei lendo o "Faça Boa Arte"! É realmente um livro maravilhoso, simples, franco, objetivo daqueles que me lembram pq eu tenho tantos livros desse homem na minha estante e quero ter mais!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Oie
    Eu adoro o autor, mas ainda não conhecia este livro. Fiquei interessada no assunto, parece ser um livro bem diferente dos outros que eu li do autor.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Que interessante e pertinente esse livro! É uma boa questão essa, se o fato de não gostar do que faz influencia na qualidade do serviço. Acho que isso varia, não? Mas é de se pensar mesmo. Ótima resenha!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"