Olá, pessoas!

Me digam uma coisa, alguém aqui gostaria de ganhar uma passagem para passar o réveillon em alto mar, num cruzeiro, com uma médium famosa se apresentando para um grupo de amigos? A Sarah Lotz, tem um navio especial para apresentar a vocês. Eu aceitei a experiência, sou um dos sobreviventes – foi difícil chegar ao fim da viagem, viu! -, e acho que talvez vocês queiram saber um pouco mais sobre isso.


Sara Lotz é autora do livro Os Três, é roteirista e também apaixonada por histórias macabras. Já escreveu histórias de terror urbano e zumbis, e recentemente teve seu mais novo livro, O Quarto Dia, lançado aqui no Brasil pela Editora Arqueiro.

Desaparecido há cinco dias, o navio “O Belo Sonhador” finalmente é encontrado à deriva, no Golfo do México. Mas os 2.962 passageiros e tripulantes, simplesmente desapareceram no mar do Caribe, e não sobraram provas ou pistas do que poderia ter acontecido. Teorias da conspiração aparecem nos principais noticiários, quando as autoridades descobriram que todos os registros e gravações de bordo foram danificados. Há apenas indícios, inclusive, de uma epidemia norovírus. O que era para ser uma viagem para comemorar o réveillon e começar da melhor maneira possível o ano de 2017, acabou se transformando num pesadelo para os passageiros do grande navio.

O primeiro, o segundo e o terceiro dia foi de uma viagem tranquila. As coisas só começaram a acontecer no quarto dia, quando uma pane mecânica fez com que o navio parasse e consequentemente faltasse energia, comprometesse o sistema de comunicação e começasse a faltar alimento de qualidade para os passageiros. Um caos completo dentro de um navio que nunca apareceu na mídia com boas críticas, mas que levava num passeio em alto mar pessoas que com segredos obscuros e outras com conduta duvidosa.

Uma médium e sua assistente, um assassino, duas irmãs suicidas, um médico que carrega uma culpa pela morte de um paciente - mas que trabalha duro para salvar a vida das pessoas no navio -, uma tripulante gananciosa, um tripulante com crise de identidade e um blogueiro que deseja desmascarar a famosa médium à todo custo. Esses são alguns dos passageiros que o leitor vai conhecer mais a fundo na narrativa. Os capítulos são exclusivos para cada um, narrando suas cenas. O que essas pessoas estão fazendo no navio? Quais os segredos que eles guardam e o que eles pensam?

Lotz construiu uma história que apresenta o lado mais obscuro das pessoas, que se escondem em suas máscaras. Diante do caos e do desespero a autora apresenta os pensamentos sujos e as atitudes egoístas de cada um, diante dos problemas que estão vivendo na viagem. Entre mentiras, raiva, indignação e verdades veladas somos apresentados a um suspense, diria um terror psicológico - e por que não um thriller também? -, que tenta envolver o leitor numa história sombria, mas que infelizmente não cumpre seu papel diante da premissa que se mostra interessante.

O Quarto dia tem uma narrativa lenta – pouco consistente -, e não apresenta fatos empolgantes ou um suspense que prenda o leitor. A premissa é convidativa, mas o desenvolvimento da história causa desconforto, marcado por detalhes desnecessários, o que faz com que a leitura seja cansativa, sem surpresas, e, com o perdão da palavra, chata.


Quem assistiu ao filme O Navio Fantasma com certeza vai encontrar semelhanças na construção dessa história. Afinal, quem não lembra do ser mortal que habita o navio italiano desaparecido há mais de quarenta anos, encontrado na costa do Alasca? Trazendo para O Belo Sonhador, a grande aposta nesse cenário assustador fica por conta de Celine, uma médium famosa, que após ser alvo de um escândalo decide fazer uma promoção, escolhendo algumas pessoas para uma viagem com ela – essas pessoas são chamadas de Amigos – para assistir as suas apresentações no Lounge Sonhador das Estrelas.

No entanto, se já a narrativa propõe e não cumpre, a mulher também não faz seu papel valer. E por falar em personagens, não há brilho em nenhum deles. Seus segredos seriam uma grande cartada para uma narrativa mais rica e impressionante se fossem bem trabalhados e estruturados com mais cuidado na história. Poderia salvar a narrativa rasa que o livro tem.

Em Suma, O Quarto dia é uma obra que poderia SER, mas NÃO é. Não entendeu? Essa é a sensação que você tem quando termina de ler uma história que promete ser instigante, mas não faz por onde. É um livro que se torna confuso, com um final desnecessário, sem diálogos ricos e King que me perdoe, mas não é um livro excelente, é apenas um livro bom, para ler sem maiores expectativas. 

Bjux a até mais, pípol!
Diih 

7 comentários:

  1. Oiii

    Confesso que tenho uma vontadinha de ler essa série, mas nem posso pensar em comprar nada de livro até eu diminuir bastante meus não lidos kkk
    Mas acho esse enredo fascinante! *-*

    Beijos

    www.ooutroladodaraposa.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi Di!
    Ainda não li Os Tres mas quero muito, acho a capa linda. Adorei a premissa do livro!. Parabens pela resenha, adorei as fotos <3
    Abraço!
    Leitura Fora De Série

    ResponderExcluir
  3. Oi, Di!
    Eu queria muito ler era Os Três da autora, mas vi tanto comentário negativo e desisti.
    Só sei que essa mulher gosta de números viu?
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Olá Di!
    Noooooooooossa super queria ler esse livro e agora já não quero mais huahua
    Uma das coisas que mais me incomodam são personagens pouco aproveitados e mal contruidos. Eu preciso sentir empatia com ele para poder me envolver na história.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do DIA DOS NAMORADOS <3

    ResponderExcluir
  5. Oi, Di

    Como eu disse lá no IG, você é a primeira pessoa que vi tendo uma experiência não tão boa com o livro, que pena.
    Realmente lembra Navio Fantasma, até comentei isso em uma outra resenha. Tem um livro anterior, né? Eu li em uma das resenhas que tem uma referência importante nesse referente ao livro anterior...
    Apesar das suas ressalvas, ainda sinto vontade de ler, mas não agora, não é uma prioridade.


    Beijo, meu rei
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  6. Diiih, eu lendo o início da resenha já estava encantada pra ler o ivro, pois realmente o livro promete. Mas sei como é, essas voltas que alguns autores dão para chegar ao ponto tira todo o prazer da leitura. Tenho outra ressalva, é que livros assim me deixam com pequenos medos (hahaha) tipo, agora fiquei com medo de viajar em cruzeiro algum dia... Amo suas resenhas!Beijo, Carol. http://carolthetwentiesgirl.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Concordo contigo. Não achei suspense nenhum nesse livro. Foi uma decepção, pois eu esperava muito mais. Infelizmente até no mundo literário não é bom criar expectativas...

    Ale.

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"