Olá!
Espero que meu Oi chegue tão coloridinho quanto Tudo e Todas as Coisas, livro da Nicola Yoon, lançamento de abril da Editora Novo Conceito.

 Drama, Amor - num romance lindo - e o histórico de uma doença rara é parte do enredo desse livro.


***
O livro Tudo e Todas as Coisas conta a história de Madeline Whittier, uma garota que não pode sair de casa porque tem um tipo de imunodeficiência combinada rara (IDCG) - conhecida também como a doença da bolha – o que pode desencadear uma série de alergias caso tenha algum contato com o “mundo”. O perfume de alguém, um produto de limpeza, o toque de uma pessoa, qualquer coisa pode desencadear um problema sério à garota, que não conhece o que está além das paredes da própria casa. Agora Maddy – como é carinhosamente chamada pela mãe e pela enfermeira – acaba de completar 18 anos e novos moradores estão chegando para ocupar a casa ao lado. Olly é o novo morador da vizinhança, um garoto cheio de vida, inteligente, com problemas sérios na família. Olly também vai ser responsável por mostrar o mundo a Maddy. Eles vão se apaixonar. Mas como viver um romance sem poder tocar um ao outro? Será que o amor poderá sobreviver aos limites das paredes de casa e à distância de dois corpos que precisam se tocar?

E me diga mais: você acha que o amor supera tudo? Você arriscaria tudo para viver um grande amor?


Nicole Yoon escreveu uma história doce, colorida – apesar das paredes brancas da casa da personagem – e cativante. É “doce” porque possui uma beleza infinita nas palavras e situações, que faz nossos olhinhos brilhar e o coração vibrar feliz cheio de paixão, o que faz dele “colorido” também – afinal, quando a gente se apaixona o mundo se enche de cor. E é cativante porque os personagens principais são puramente amor, porque o cenário que foi criado é encantador também – quando você ler a descrição da casa aonde a personagem mora vai me entender.

Com uma narrativa fácil, em primeira pessoa, que não se limita ao texto verbal – o livro conta com imagens também -, a personagem nos apresenta o “mundo” onde vive, onde tudo acontece num só espaço, e releva ao leitor a imensa vontade de conhecer o mundo através dos vidros da janela de casa. Referências aos clássicos como “Alice no País das Maravilhas” - que está relacionado aos sonhos de conhecer novos ambientes que passariam a ser maravilhosos à medida que fossem desbravados - e “O Pequeno Príncipe” - que traz toda a questão da amizade e do amor, de ser cativado por alguém especial e se arriscar por ele - entre outras, estão espalhadas pela história.


Como já disse, o casal protagonista é puramente amor. Olly e Maddy formam aquele tipo de casal que a gente “shippa” desde o primeiro momento. O romantismo na medida, misturado à ousadia dos dois nos aproxima dos casais reais, sem aquela ideia de perfeição. E quer mais? A personagem principal foge do estereótipo que temos de narrativas como essa: ela não é branca de olhos clarinhos e cabelos lisinhos. 

Ainda sobre personagens não poderia deixar de mencionar Carla, que trabalha na casa de Maddy desde quando a garota era criança. A enfermeira é como uma segunda mãe para ela, e é quase da família. É uma mulher sábia, compreensiva, sensata. Impossível não se apegar a ela, ao contrário da mãe da personagem que irrita com a mania de superproteção e um egoísmo que mais tarde de revela com uma surpresa.

Problemas familiares, envolvendo agressões à mulher e a violência no lar faz parte do enredo, apesar de as situações serem apresentadas de maneira rápida. Além disso, o leitor também é apresentado a outro problema: a doença de Maddy, a IDCG. E é aqui nesse ponto que eu preciso apontar o que encontrei de negativo na história.

Sou uma pessoa curiosa e quando li sobre a doença da personagem fui pesquisar um pouco mais sobre ela já que ainda não conhecia. Pesquisando e conversando com uma amiga – que inclusive é médica – sobre isso, descobri que a doença foi apresentada de maneira equivocada na história. Eu não vou me aprofundar a explicar as razões porque não sou da área de medicina, mas basicamente o indivíduo que tem essa condição clínica tem um risco maior de adquirir infecções, com maior frequência e gravidade, diferente do que foi colocado pela autora. A doença não “desencadeia” nada.

Mas Di, isso é literatura! Há uma permissão para que o autor possa beber da água do devaneio e se afundar nisso. Além disso, será que ela não justifica isso durante a história?

Ok! Concordo que a literatura é permissão, é fugir do mundo real e se lançar num mar de devaneios. E também acredito que há uma explicação para isso – que pode ser válida para você ou não na história. Mas acontece que quando se trata de um assunto sério, a informação precisa ser séria também, afinal o livro é um meio de se obter informação e me coloco como exemplo disso. Soube sobre a doença por essa leitura e decidi me aprofundar mais e saber do que se trata. E se isso não acontecesse? Eu teria uma informação equivocada sobre a IDCG?

 Acredito que a autora pecou na maneira como apresentou a doença, e se isso foi justificado adiante – e pra mim foi – acredito que deveria haver uma explicação correta sobre o que foi dito inicialmente e isso não aconteceu, ficou apenas implícito.


De modo geral Tudo e Todas as Coisas é um livro que oferece uma leitura tranquila, que tem um enredo tocante, apesar dos equívocos, e nos apresenta o mundo com um sentimentalismo, uma delicadeza e uma graça admirável. E não seria justo não comentar sobre a edição do livro, não é? A capa é linda, a diagramação também, os desenhos e a impressão: tudo muito bom. A Editora está de Parabéns.

Uma história que nos mostra o amor entre mentiras e que nos salva com a verdade num desfecho inesperado. Um livro que merece ser lido.

Sobre a Autora: Yoon nasceu na Jamaica e Cresceu no Brooklin. Atualmente Mora em Los Angeles. Esse é seu primeiro romance. A Autora é extremamente romântica e acredita no amor verdadeiro.


♥ Bjux 1.000

E até logo, pessoal.

31 comentários:

  1. Que resenha maravilhosa foi essa?? Amei demais. Agora estou com vontade de ler o livro, preciso dele de alguma forma para ler! A história parece ser um amor.
    Amei seu cantinho, vou visitar sempre que puder! :3

    Dê uma passadinha no meu blog! http://raimcam.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Cameron!
      Volte mais vezes sim.

      =)

      Excluir
  2. Oi, Diego!
    Gente, eu necessito ler esse livro! Comprei o ebook dele na pré-venda quando foi lançado lá fora, mas ele foi se perdendo em outras leituras...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza.
      Então leia agora! Você vai se apaixonar, certamente.

      Excluir
  3. Oi!
    Cara, eu vi esse livro em tantos lugares! Estou com muita vontade de ler! Parece ser muito legal mesmo!
    Sobre a questão da doença, eu acho muito corajoso de um autor(a) escrever sobre uma doença assim. Como você falou, precisa de uma pesquisa bem feita e ter uma visão correta sobre. Mas enfim...
    Abraço!

    http://blogliterando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é bem legal, Vitor. Mas tem essa coisa que eu gostaria que houvesse um esclarecimento maior - sobre a doença.

      Abraço.

      Excluir
  4. Oi Dihh
    Nossa, que resenha linda!! O livro parece ser cativante, suas palavras me fizeram ficar encantada e com vontade de ler o livro. O enredo é bem interessante.
    Como sempre ameii suas fotos.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nessa! Espero que leia e se apaixone também.
      Bjux e obrigado pelos elogios.

      Excluir
  5. oi, oi.

    oi, oi.

    acho que eu vou adorar esse livro não só pela capa, mas por conter muitos diálogos por e-mail. adoro quando editam os livros dessa forma. fica bem mais atrativo, interessante...

    por um momento lembrei de "O quarto de Jack", mas a história nem chega perto. totalmente diferente.

    adorei a resenha! <3

    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi, Adriel!
      Também adoro histórias assim, a gente termina de ler rapidinho. E inicialmente eu também pensei em O Quarto de Jack, mas realmente não te muito a ver.

      Excluir
  6. Amei a resenha, acho que foi uma das mais completas que li até agora sobre esse livro.
    Concordo com você, quando um autor resolve inserir um assunto sério, principalmente uma doença, ele não pode passar as informações incompletas ou equivocadas, até porque tem leitores que gostam de pesquisar as referências , assim como eu. No geral, Tudo e Todas as coisas parece ser uma leitura muito envolvente, e a cada resenha que leio sobre ele, só fico ainda mais curiosa em relação a história. Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disse tudo, Cris! Concordo, viu.
      Mas leia, leia porque você vai se apaixonar pela doçura dos personagens.

      Bjão.

      Excluir
  7. Olá, Diego! Tudo bem?
    Confesso que li sua resenha bem por alto, pois temi ler algo que eu considerasse um spolier, afinal, Tudo e Todas as Coisas é o minha leitura atual. Mas do pouco de li, concordei e muito com o que você disse. estou na página 125 e estou amando os personagens e a história como um todo. Um livro fascinante mesmo!

    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Renato! Quero ler sua opinião, viu.
      Mas não espere por spoiler por aqui. Huhauhahau

      Excluir
  8. Oi :D
    Também li alguns comentários sobre as informações que o livro oferece (e não oferece)
    Essa edição ficou maravilhosa mesmo, mas a Novo conceito conquistou geral com o marcador né ahha
    Bj


    IG: @saymybook
    saymybook.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Jess. Que marcador lindo, né?

      Bjão.

      Excluir
  9. Que lindo que é teu blog, Di: desde o layout ao teu jeito de escrever. Adorei!
    Bom, essa é a segunda resenha que li sobre esse livro. E é a segunda que diz que é um bom livro, com algumas ressalvas. Gostei da sua crítica ao fato de a autora não ter passado a informação correta sobre a doença. É literatura, é, mas creio que assuntos como esses precisam ser passados com seriedade e verdade. Faltou um pouco mais pesquisa da parte da autora, será? Com certeza, cuidado faltou no tocante a essa parte.

    Beijo!

    Blog || Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Erica!
      Obrigado pelo elogio, linda. Obrigado pela visita. Apesar de tudo eu indico o livro, viu. Espero que leia e se apaixone como eu.

      Excluir
  10. O que mais acontece nesses livros de doença é a autora começar a viajar e fugir um pouco da realidade da enfermidade do personagem. Não acho isso bom, mas se a história é bonita como essa parece ser, ainda dá pra relevar. Quero muito ler!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Carol! É perigosinho, né?
      Mas a história é realmente encantadora, então vale a pena.

      Bjux.

      Excluir
  11. Amei sua resenha! <3 O livro aparece ser incrível,vou coloca-lo na minha lista. <3

    Beijos!
    http://nomundodaka.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Espero que leia também. É muito lindinho.
      Bjux

      Excluir
  12. Oi, meu rei. 

    Que resenha mais amorzinho! Você já sabe que eu amei o livro, né? :)
    Agora quero ler tudo da Nicola. 
    Só não concordo com a parte em que vc diz que a doença foi apresentada de maneira equivocada. A própria personagem explica que qualquer coisa pode ser um gatilho para o início de uma infeção, por exemplo. A IDCG torna Maddy mais vulnerável a tudo e isso ficou bem explicadinho. E sobre a justificativa, não achei que tenha sido necessária uma explicação... acho que a mãe era a explicação, sabe? E depois a gente pensa: "eita, que doidera" e deleta as possíveis informações erradas. 
    Bom, pelo menos é assim que acontece comigo! Hahahahaha

    Beijo
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tami! Paixão é o que sinto por esse livro, mas acho que a explicação mais detalhada merecia sim, nem que fosse numa página esclarecendo no final do livro. Ele é um livro direcionado a um certo público, que talvez não perceba tão fácil essa explicação.

      Excluir
  13. Oláá
    Nossa, estou mega curiosa sobre essa história, leio uma resenha mais incrível que a outra e a ansiedade só aumenta! kkkkk
    Amei a resena e as quotes, espero ler Tudo e todas as coisas o quanto antes! ^^
    Bjoos

    Jovem Literario

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Eloisa! Ele está sendo muito bem comentado.
      Espero que leia mesmo.
      BJão.

      Excluir
  14. Di!!
    Que resenha mais linda. Tenho interesse em ler esse livro e ver sua opinião positiva aumentou ainda mais minha vontade!
    Sobre a abordagem errada que a autora deu sobre a doença, eu concordo com você. Na literatura temos uma certa liberdade, mas quando o assunto envolve a saúde humana, o autor deve ter muito cuidado para não oferecer informações erradas. Se o caso é mudar as informações sobre a doença com o objetivo de criar algo específico na história, ok. Mas, é necessário que o autor, em nota, esclareça as mudanças que realizou.
    Parabéns pela resenha!!!
    Beijos,

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bahzinha!
      =)
      Leia, leia vá! Você lê bem rapidinho, tenho certeza.
      Bjux.

      Excluir
  15. Adorei a capa, o título e tudo relacionado a esse livro! Parece mesmo ser super fofo. Fiquei com bastante vontade de ler! Adorei a resenha, Di 💜

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois bem, senhor Paulo! Leia, leia mesmo! Vou ficar no seu pé.
      Bjão.

      Excluir
  16. Olá! Adorei a resenha.
    Já estava há tempos com vontade de ler esse livro e sua resenha confirmou a minha primeira impressão sobre ele.
    Amo livros com a premissa do livro. Espero lê-lo em breve.
    Parabéns pela resenha e pelo Blog.

    Abraços!
    www.livroseleitoras.blogspot.com

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"