_______ ♥ ________ 

Não há dúvidas de que Paris é o palco dos grandes apaixonados e das mais belas histórias de amor já contadas no mundo. Prova disso está nos grandes romances vividos na cidade parisiense, como ‘Meia Noite em Paris’, do aclamado Wood Allen, o maravilhoso ‘Moulin Rouge – Amor em Vermelho’, do espetacular Baz Luhrmann, além de alguns livros que se destacam, como Ana e o Beijo Francês, de Stephanie Perkins e “Aconteceu em Paris”, Molly Hopkins.  No entanto, reservo a resenha de hoje para o escritor Lino de Albergaria, que escreveu o romance ‘De paris, com AMOR’.



“Será que você é capaz de sonhar como eu?” Essa é uma pergunta que você deve responder para si mesmo antes de fazer essa leitura, porque você vai embarcar numa história em que será testemunha do sonho de dois personagens apaixonados, que tem a linda Paris como o palco ideal para o amor e faz das simples cartas que escrevem uma ponte para chegarem um ao outro.
“(...) Não acredito muito no acaso e gosto de decifrar o simbolismo das coisas. Então, acho que você queria me dizer algo quando me enviou a fotografia de uma ponte. E responder meus bilhetes e minhas cartas é bem isso: criar uma ponte entre a gente.”

A história se passa numa sala de aula, caminha pelos sonhos dos personagens e chega até Paris. Melissa é apaixonada por Paulo Sérgio, mas é uma garota tímida que se acha ‘sem graça’, porém muito inteligente e adora escrever cartas e bilhetes. E são essas cartas e bilhetes deixados na carteira do ‘Paulinho’ que levarão os dois a viver um romance na encantadora cidade.  A troca de bilhetes e correspondências torna-se tão frequentes que a ‘brincadeira’ se transforma em realidade para os dois, que acabam passeando por Paris e visitando lugares incríveis através do poder da imaginação. Mas será que Paulo sabe de quem vem tamanho romantismo e carinho expressos em papéis coloridos? Será que a história que construíram em Paris pode ultrapassar o tempo também e levarem eles a outros lugares?
Hoje tive o imenso prazer em viver um sonho com os personagens durante essa leitura onde você passeia pelas principais belezas da cidade Francesa e aprende um pouco sobre sua cultura, enquanto lemos as cartas. Algo que me incomodou foi a fonte com a qual as cartas são escritas. Às vezes atrapalha um pouco a leitura. E também a maneira precoce como os personagens se tratam (‘sua Melissa’e ‘sempre seu Paulo’) que não vejo nem os jovens dos dias atuais usando. No entanto esses detalhes não interferem em nada na beleza da obra.
 A maneira singela e romântica, narrada em primeira pessoa - como já foi dito, o gênero utilizado para o enredo é a carta - retira o leitor do seu lugar e o coloca como personagem da história que tem como plano de fundo os encantos da capital da França. E viver a grande Paris, assim como voltar no tempo não é apenas um ato imaginário particular aos personagens de Albergaria. Em 2012, Wood Allen presenteou os telespectadores com o longa metragem Meia-Noite em Paris, em que um de seus personagens descobre a fantasia da meia-noite que o leva a conhecer os costumes e a cultura da encantadora Paris, de 1920 .

Com ilustração de Sônia Magalhães, ‘De Paris, com AMOR’ foi lançado em 1997 e em 2009 ganhou a sua 8ª edição, já escrita com o novo acordo ortográfico, pela Editora Saraiva. Lino de Albergaria é escritor e tradutor e editor Brasileiro que escreve livros para o público infanto- juvenil e adulto também, embora em quantidade menor. Nasceu em Belo Horizonte, mas viveu três anos na França.
De Paris, com Amor é uma obra espetacular que traz ao leitor da atualidade a lembrança do uso das cartas, numa comunicação mais íntima entre os envolvidos. E não somente isso faz dessa obra uma leitura brilhante. Quando os personagens nos levam a conhecer outras culturas, nos ensinam a cuidar daquilo que plantamos e nos mostram a importância de traçar metas e viver sonhos, percebemos a riqueza de aprendizado que podemos adquirir com a história. Estou apaixonado! Leiam e se apaixonem também.

 2014 © Diego França

0 comentários:

Postar um comentário

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"