7.2.13

Sete dias
07 de fevereiro de 1990 e o meu primeiro choro. A cada ano a lembrança dos primeiros passos, primeiras quedas e primeiras saudades. Fazer aniversário nos permite essa nostalgia. Nostalgia  que nos permite, também, ter a chance de olhar para o hoje e agradecer por mais um dia, mais um ano para comemorar. E eu transformo as lembranças que me tomam hoje, em poesia.

Abro os meus olhos
De repente novos sonhos são descobertos
O dia amanheceu 
Junto a ele novas promessas e planos


Quanto tempo ainda me resta
Para o hoje ser mais que um
Para que o amanhã seja mais do que um
Segundo que me cerca?

Me vejo como aquele menino tão pequeno
De pele limpa, choro à toa
Me parece que foi ontem
Que conheci a minha primeira história e, então, cai.

As roupas já não são as mesmas
As músicas que não escuto mais
Os livros que já não interessam 
Guardados nos anos que ficaram para trás

Fotografias parecem gastas
Outras novas num porta-retrato
Me mostro um sorriso
E tudo vai mudando de lugar 

E aí pareço tão pequeno nesse mundo tão grande
Num tempo que corre apressado
Enquanto existe um espaço gigante
Com coisas a fazer.

Sete dias pra me acostumar
E dois números que me apressam.


 
07/02/2013
© Diego França 2013*

0 comentários:

Postar um comentário

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"