Tudo começou com a saudade. Os dias que eram nossos chegam e se vão e até então já não servem de nada. Tudo continuou numa tarde de sábado. Eu, ele, "eles" e uma vida inteira sobre nós. O que dizer daquele beijo que tanto gostaria de ter dado? O beijo que tanto esperei? O beijo que, enfim, aconteceu?

O tempo passa e as coisas ficam tão nítidas. Os olhos abrem-se e a paisagem se faz tão cheia de detalhes que, até então, passam despercebidos. Foi quando decidi não deixar que essa história se tornasse tão triste. Todos falam que deveria ser feliz e eu acredito; Dizem que minha melancolia está voltando-se contra mim. Todos gostam da poesia que faço, mas me dizem que é sempre tão triste. E é por isso que resolvi acordar mais cedo, olhar para o céu e, quando avistei o arco-íris, percebi que era o momento de colorir – dar cores vivas e felizes – a minha vida. Decidi mostrar para vocês o meu processo de crescimento.

Dividirei com vocês uma página do meu caderno de anotações. E é assim que começa:

’Querida vida que está sendo salva’

Hoje me encontrei com aquele que amo. Foi uma tarde linda de sábado e meu coração não cabia em mim. Batia tão acelerado, mas tão acelerado, que eu acreditei que pudesse colocar nas mãos e, mais uma vez, entregar nas mãos dele. O melhor de tudo é que não o fiz e consegui contê-lo da forma mais discreta possível. Eu até gostei, sabe?! Acho que estou aprendendo e crescendo.
A tarde caminhou lenta e muitas fotos marcaram os momentos também. Estava eu, ele e os nossos amigos. Estávamos nós e ainda as lembranças, a saudade e os olhares cúmplices que eu soube desviar como nunca. Veio-me um filme na cabeça e tudo estava sobre os meus olhos. A foto do abraço cheio de ternura do nosso primeiro encontro depois do pedido de namoro, as brigas bobas e os beijos na beira da piscina. Todos as frases e um “você me faz feliz” eu consegui escutar (sério, era como se estivesse vivendo tudo aquilo). Certo que tudo isso existiu, mas eu estou tão a fim de acordar, tão a fim de voltar a mim.
Desde aquele dia em que ele foi embora e a tolha molhada ficou na cama, assim como o seu perfume, tanta coisa aconteceu. O presente não olhou para trás e eu acreditei que não fosse suportar. Sim, porque a dor é tão grande e o drama que vive impregnado em mim, ajuda bastante. E com isso o tempo foi passando.
Voltando à tarde de sábado... Ao sentar na beira da piscina e encontrar o olhar dele encarar o meu, ele me abriu um sorriso e eu me vi num mundo azul e as nuvens brancas sobre meus pés. Como sempre foi aquele sorriso me convidou para um lugar mais calmo, longe de tudo e de todos e, de repente, lá estava eu e ele. E é aqui que veio a decepção.
Não estou usando sua página para falar de coisas tristes, dessa vez, companheiro. Mas eu vou chegar lá. Enquanto estávamos a sós, ele me abraçou e não me disse palavra alguma. Eu o abracei em silêncio também. Mas quando encostamos nossos lábios, eu me senti tão estranho. Enquanto eu tinha todos os desejos e sentimentos bons, fortes, gritantes e desesperados, ele tinha fúria, desejos e nada que eu pudesse identificar como um sentimento puro e uma saudade sem limites. Foi um beijo que desconheci, tentei procurar lá no fundo e não encontrei nem um pouco daquele sentimento que ele dizia sentir por mim. Aí eu pensei: “Acho que me esqueceu...”, e veio aquele vazio outra vez. Então eu saí correndo de lá. Chorei tudo o que tinha que chorar e no outro dia acordei vivo, dentro de mim e sentindo uma imensa vontade de me acompanhar. Percebi que mudei, estou mais firme, mais seguro de mim. E eu aprendi tanta coisa... Talvez tenha sido necessário passar por tudo o que aconteceu. E valeu a pena. Outro dia veio e eu, mais uma vez, encontrei em mim tudo o que preciso para viver.
E é por isso que eu pergunto a quem está lendo essa página agora: Você já beijou a pessoa que ama hoje? Essa pessoa te passou algum tipo de sentimento de amor e afeto? Se sim, coloque um sorriso no rosto, abrace-o (a) muito forte a ponto de dizer "eu te amo" no silencio. Se o sentimento não existiu reciproco, nesse beijo tão esperado, abrace a você mesmo (a) e ame-se como nunca.

“Hoje eu sinto a minha vida salva por mim.”
Agora é hora de dormir porque a continuação de um bom livro me espera amanhã.

2012 © Diego França

Há um limite bem grande entre minha vida pessoal e essa postagem. Limitem-se a ler como um texto ficcional. 

2 comentários:

  1. Dih eu n lembro se foi eu quem inventou ou li em algum lugar mais eu penso muito assim: ' Primeiro a tempestade e depois o arco - íris acostume -se a ordem é sempre essa."

    Isso me faz acalmar ^^

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"