12.12.11

Não convidado

  

Ele sorriu e estendeu a mão
Olhou e vislumbrou-se com o que viu
Como quem vê castelos
Erguidos com areia

Ele ouviu o sinal do vento
E vibrou, sentiu na pele o tempo
E me olhou
Disse ter me ouvido gritar e não parou

Viu sua melhor imagem
Refletida no espelho
- Eu o vejo levitar –
E mão estendida naquele início
Agora me pede p’ra parar

E eu paro!
Com os pés do lado de fora
E uma barreira separando nosso mundo
Percebo que todos estão lá dentro
Mas eu não fui convidado
Para a festa.

2011 © Diego França

3 comentários:

  1. Mas ousado q sou, me atrevi a entrar, mesmo sem ter sido convidado previamente...
    Triste foi constatar que eu não deveria estar alí. Que eu não cabia alí... por mais que quisessemos acreditar no contrário!
    Era chegada a hora de dar a minha própria festa...

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"